27 junho 2017

ArcGIS PRO 2.0 está disponível!

A ESRI anunciou hoje no seu blog oficial a versão 2.0 do ArcGIS PRO, a plataforma GIS Desktop 64 bits que está substituindo o ArcGIS Desktop 32 bits.
Para atualizar, entre em contato com a Imagem ou acesse o My ESRI

NOVIDADES
ArcGIS Pro 2.0 traz fluxos de trabalho altamente solicitados para a versão Desktop. 
Fonte: Blog ESRI
Apresenta inovações não disponíveis em qualquer outro SIG desktop, além de estar mais integrado com o resto da plataforma ArcGIS. 
Dentre algumas melhorias destacam-se a possibilidade de utilizar annotations e diferentes grids; editar topologia diretamente no PRO; Novo favoritos; Novas funções COGO; um menu de contexto mais amplo incluindo opções de importação e exportação; aba Catalog, etc.
Outra grande melhoria a ser destacada é a possibilidade de incluir gráficos dinâmicos nos layouts de mapas.

Confira mais detalhes e atualize sua versão clicando aqui


TÓPICOS RELACIONADOS

08 junho 2017

Ganhe dinheiro vendendo seus mapas na Avenza Map Store

Com certeza você conhece o PDF Maps (Agora chamado Avenza Maps), o aplicativo que você carrega seus mapas em geoPDF para navegar sobre ele a campo mesmo quando não tiver acesso a internet.

Pois a Avenza possui um Map Store onde você pode baixar diversos mapas gratuitos mas também você pode comprar mapas produzido por outros usuários.


➥Você pode se tornar um vendedor de mapas PDF na Avenza Store e garantir uma grana extra ! Veja as instruções diretamente do site deles:

➣Deseja se tornar um fornecedor de mapas na Avenza Map Store? 
Você cria mapas profissionais e está interessado em encontrar novas formas de gerar receita? Aproveite a Avenza Map Store para vender seus produtos de mapa digital. A loja oferece um local de comércio eletrônico acessível por milhões de usuários iOS, Android e Windows Phone. 
É fácil tornar-se um fornecedor de mapas:
Fonte: Site da Avenza Store

➥"Os vendedores podem enviar mapas, inserir descrições de mapas, escolher escalas de preços, escolher categorias e fazer alterações em miniaturas. Você pode gerenciar seus mapas através de um portal de fornecedores onde você pode editar e ajustar a informação de venda do seu mapa. À medida que seus mapas são carregados, a Avenza usará as mídias sociais para divulgar o seu mapa. Vamos blogar sobre mapas de fornecedores e destacar mapas em destaque na página inicial da Avenza Map Store."

Registre-se na Avenza Map Store para vender seus mapas


TÓPICOS RELACIONADOS

18 maio 2017

Você precisa conhecer o portal Land Viewer da EOS

Se você não conhece, você precisa conhecer o portal Land Viewer da EOS (Earth Observing System)
Portal LV da EOS - Clique para Ampliar
O Portal Land Viewer - https://lv.eosda.com -  permite ter acesso a dados dos satélites Landsat-7, Landsat-8, Modis e o Sentinel-2 em uma interface super amigável e rápida.

Você filtra no próprio portal o intervalo de datas para pesquisar cenas, a cobertura de núvem e ângulo solar.
Além disso tudo, o mais impressionante é a composição de bandas em tempo real, ou seja, basta clicar no ícone Band Combination e selecionar a composição que mais lhe interessa. Abaixo dela é mostrada quais cenas são usadas para compor e você poderá no próprio site baixar as cenas e compor as bandas no seu próprio software GIS.

Você pode também ajustar brilho e contraste no próprio site em tempo de navegação apenas clicando no menu Contrast Stretching e ajustando os parâmetros.
Clicando em Custon você pode criar a sua combinação de bandas no próprio site em tempo real !!

Tudo é disponível online e você pode carregar um kml ou GeoJson com seus limites no próprio site, mas se você quiser baixas as cenas, você precisa apenas criar um cadastro usando seus dados do Google ou Facebook. Rapidamente você terá acesso gratuito a um dos melhores sistemas de disponibilização de dados de satélite já vistos.

Acesse já esta super ferramenta, coloque em seus favoritos e compartilhe este post para chegar a mais pessoas.
Com a colaboração de Edgar Rossato
TÓPICOS RELACIONADOS

16 maio 2017

Global Mapper Mobile coloca os mapas que você precisa na palma da sua mão !

Como você já deve saber, o Global Mapper é um software de geoprocessamento completo e rico em funcionalidades, polivalente e de uso muito fácil e intuitivo. Ele é muito utilizado por usuários rotineiros na área de geotecnologias, como software de Processamento de Imagens (PDI)  e Sistema de Informações Geográficas (SIG), muitas vezes substituindo o caro ArcGIS, além de ter fama justificada de ser o melhor utilitário de conversão e manuseio de dados.
Tela do aplicativo no Android 

A novidade fica por conta dos novos pacotes mobile do Global Mapper.
O Global Mapper Mobile é uma poderosa aplicação de visualização de dados GIS e de coleta de dados de campo para iOS e Android (Beta) que utiliza o GPS do dispositivo para fornecer posicionamento e inteligência de localização para projetos de mapeamento remoto.
Um complemento perfeito para a versão desktop do Global Mapper, a edição Mobile pode exibir todos os formatos de dados vetoriais, rasterizados e de elevação suportados e oferece uma ferramenta de coleta de dados poderosa e eficiente. Fornece acesso de campo a todos os seus dados GIS. Oferece coleção de dados de campo direta, baseada em GPS. Inclui uma matriz de digitalização ou ferramentas de desenho. Permite a edição de dados de atributo no campo. Permite a mobilidade e retorno de dados de forma simples e eficiente. Usa armazenamento e exibição de mapa autônomo - Nenhuma conexão de dados é necessária. Ler mais

Baseado nestas características, você usuário do Global Mapper tem mais esta ferramenta a seu alcance. Teste e compartilhe os resultados e opiniões abaixo.

*A Engesat é a representante do pacote Global Mapper no Brasil.

TÓPICOS RELACIONADOS

05 maio 2017

SGDC-1, o primeiro satélite geoestacionário brasileiro, é lançado com sucesso !

Fonte:defesaaereanaval.com.br
Foi lançado ontem ao espaço o primeiro satélite geoestacionário brasileiro para defesa e comunicações estratégicas. O lançamento, feito do Centro Espacial de Kourou, na Guiana Francesa, foi acompanhado no Brasil pelo presidente Michel Temer e alguns ministros.
Com 5,8 toneladas e 5 metros de altura, o satélite brasileiro ficará posicionado a uma distância de 36 mil quilômetros da superfície da Terra, cobrindo todo o território brasileiro e o Oceano Atlântico. A capacidade de operação do satélite é de 18 anos.

Fonte: spaceflight insider
O projeto é uma parceria entre os ministérios da Defesa e da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, e envolve investimentos de R$ 2,7 bilhões. O equipamento foi adquirido pela Telebras e será utilizado para comunicações estratégicas do governo e para ampliar a oferta de banda larga no país, especialmente em áreas remotas.

O satélite vai operar nas bandas X e Ka. A primeira é uma faixa de frequência destinada exclusivamente ao uso militar, correspondendo a 30% da capacidade total do satélite. Já a banda Ka será usada para comunicações estratégicas do governo e implementação do Plano Nacional de Banda Larga, especialmente em áreas remotas.

TÓPICOS RELACIONADOS

02 maio 2017

ANAC estabelece as regras para uso de drones e já está em vigor a partir de 3 de maio 2017

Brasília, 2 de maio de 2017 – A Diretoria Colegiada da ANAC aprovou, nesta terça-feira (02/05/17), o regulamento especial para utilização de aeronaves não tripuladas, popularmente chamadas de drones. A norma (Regulamento Brasileiro de Aviação Civil Especial – RBAC –E nº 94) estará publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (03/05).

O objetivo é tornar viáveis as operações desses equipamentos, preservando-se a segurança das pessoas. A instituição das regras também contribuirá para promover o desenvolvimento sustentável e seguro para o setor.

O normativo foi elaborado levando-se em conta o nível de complexidade e de risco envolvido nas operações e nos tipos de equipamentos. Alguns limites estabelecidos no novo regulamento seguem definições de outras autoridades de aviação civil como Federal Aviation Administration (FAA), Civil Aviation Safety Authority (CASA) e European Aviation Safety Agency (EASA), reguladores dos Estados Unidos, Austrália e da União Europeia, respectivamente.

A partir de agora, as operações de aeronaves não tripuladas (de uso recreativo, corporativo, comercial ou experimental) devem seguir as novas regras da ANAC, que são complementares aos normativos de outros órgãos públicos como o Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA) e da Agência Nacional de Telecomunicações (ANATEL).

O regulamento sobre aeronaves não tripuladas foi amplamente discutido com a sociedade, associações e empresas interessadas, bem como com outros órgãos públicos. Foram realizados dois workshops e técnicos da Agência participaram de diversos eventos. A proposta ficou em audiência pública (AP nº 13/2015) por 60 dias, com sessão presencial. Foram recebidas 277 contribuições.
  • Clique aqui e leia todas as regras
  • O sistema Sisant estará disponível para inserção de dados a partir de 10h do dia 03/05/17 para registro dos drones;
O regulamento divide as aeronaves em três categorias:
  • RPA Classe 1: Acima de 150kg
  • RPA Classe 2: De 25kg a 150 kg
  • RPA Classe 3: Abaixo de 25 kg
As exigências previstas no regulamento para cada uma delas:

  • Pelas novas regras, drones com mais de 250 gramas só poderão voar distantes de terceiros (no mínimo 30m horizontais) sob total responsabilidade do piloto operador conforme regras de utilização do espaço aéreo DECEA. O piloto não poderá ser menor de idade.
Fonte: Assessoria de Comunicação Social da ANAC / G1 Globo

TÓPICOS RELACIONADOS

21 abril 2017

Google lança o novo Google Earth, agora totalmente no navegador

A Google lançou nesta semana a versão totalmente web do Google Earth.

"O GE Desktop clássico tinha que ser baixado e instalado em seu computador Windows, Mac ou Linux. O novo Earth é um aplicativo Web (no Google Chrome, por enquanto), ele pode ser usado na maioria dos computadores, incluindo os Chromebooks, sem necessidade de download. Estar na web torna mais fácil para a Google fazer atualizações e garantir que você está usando o produto mais atualizado. Além disso, torna mais fácil para você compartilhar suas próprias experiências com o Google Earth usando simplesmente links. 
A maioria dos arquivos KML de tamanho moderado e simples devem funcionar no novo Google Earth web desde já. Enquanto trabalhamos para oferecer suporte a recursos mais avançados, você pode continuar usando o GE desktop clássico que continuará a ser desenvolvido e atualizado." by Google

Nesta nova versão, que fica agora disponível para Android e na web, é possível visualizar boa parte das áreas como se tratassem de autênticas maquetes 3D com vários eixos de rotação (pelo menos nas grandes cidades). Isto significa que, ao contrário do que era antes possível, a visualização destas zonas não precisa ser feita exclusivamente de uma perspetiva perpendicular à Terra, podendo arrastar o plano em várias direções, localizando a câmara de frente para edifícios ou ao nível das ruas. Outro detalhe é que não são apenas os monumentos que são reproduzidos em três dimensões, no novo Earth, tudo é tridimensional nas áreas cobertas pela funcionalidade: carros, casas, árvores, sinais de trânsito, postes de iluminação e por aí adiante.
Os tours, por sua vez, vão ser interativos e acompanhados por cientistas, historiadores e outros especialistas que vão fornecendo contexto à viagem. De acordo com a Google, já existem mais de 50 disponíveis numa nova sessão a que o mesmo chamou de Voyager (muito parecido com o Story Maps do ArcGIS). Veja um exemplo da cidade do Rio de Janeiro.

19 abril 2017

Planet Labs lançou 88 satélites para o espaço de uma só vez para imagear toda a massa terreste em um dia apenas

A Planet Labs, empresa que ficou com a secção de satélites de imagem da Google, conseguiu um feito notável, ao lançar para o espaço 88 satélites de uma só vez em fevereiro - assim conseguindo o seu objectivo de conseguir captar imagens de todo o planeta a cada dia.

Com o lançamento destes 88 satélites, a Planet fica com uma constelação de 149 satélites em órbita, sendo que 144 deles têm como missão captar imagens do nosso planeta em média resolução, e 5 conseguem captar imagens de alta resolução. A grande vantagem desta que é a maior constelação de satélites de uma empresa privada, é a de que será possível obter imagens do nosso planeta diariamente, sendo de valor incalculável para inúmeras aplicações.

A quantidade de dados que isto representa é também "astronômica", pelo que a Planet teve também que criar a segunda maior rede de estações terrestres para conseguir receber toda a informação que diariamente será enviada para o solo. A que se soma a necessidade de processar todos esses dados de forma a que ganhem a utilidade desejada.

Embora este novo lote de satélites só vá ser ativado progressivamente ao longo dos próximos três meses, o que isto significa é que estamos um pouco mais próximos de podermos chegar ao Google Earth/Google Maps e ver imagens de satélite referentes ao dia anterior! E assim, de repente, a ideia de ter um Google Maps com imagens de satélite em tempo real, já quase deixa de parecer tão difícil.



TÓPICOS RELACIONADOS