18 outubro 2017

Classificação de Imagens no ArcGIS

Classificação de Imagem 
O processo de classificação de imagem envolve a conversão de imagens raster multi-banda em um raster de banda única com várias classes categóricas que se relacionam com diferentes tipos de cobertura de terra.
Existem duas formas principais de classificar uma imagem raster; classificação supervisionada e não supervisionada. Usando o método de classificação supervisionada, uma imagem é classificada usando assinaturas espectrais (isto é, valores de reflectância) obtidos a partir de amostras de treinamento (polígonos que representam áreas de amostra distintas dos diferentes tipos de cobertura de terra a serem classificadas). Essas amostras são coletadas por você, o analista da imagem, para classificar de acordo com suas necessidades. 
Com o método de classificação não supervisionado, o software encontra as classes espectrais (ou clusters) na imagem multibanda sem a intervenção do analista, sendo assim sem supervisão. Uma vez que os clusters são encontrados, você precisa identificar o que o cluster representa (por exemplo, água, terra nua, solo seco, etc ...)

Classificação Supervisionada no ArcGIS
Depois de habilitar a extensão Spatial Analyst , você pode adicionar a barra de ferramentas Classificação da Imagem à sua interface do ArcMap (você precisará de uma licença do Spatial Analyst para usar esta barra de ferramentas). 
A barra de ferramentas de classificação de imagem fornece um ambiente amigável para criar amostras de treinamento e arquivos de assinatura. Um arquivo de assinatura registra as assinaturas espectrais de diferentes classes em uma série de bandas) para classificação supervisionada. Também serve como um local central para a realização de classificação supervisionada e classificação não supervisionada usando ArcGIS-Spatial Analyst.



  • Baixe sua imagem da área de interesse, faça a composição de bandas adequada ao interesse.
  • Usando a ferramenta de criação de amostras colete as amostras de treinamento para sua área de  interesse (figuras acima). Nomeie cada amostra de acordo com seu uso. Você deve amostrar áreas homogêneas e várias amostras dentro da mesma classe. Ao final utilize a ferramenta de agrupamento de amostras para criar uma única classe baseada em todas as amostras obtidas (pode-se nomear apenas esta para ganhar tempo). Ler mais sobre como amostrar de forma correta.
  • Depois de concluir a coleta de amostras de treinamento, clique no ícone Criar arquivo de assinatura para salvar o arquivo de assinatura no disco local. Você usará isso na classificação supervisionada posteriormente. 
  • Para se certificar de que as classes representadas pelas amostras de treinamento são distinguíveis, suas características espectrais precisam ser verificadas.
  • Utilize os diagramas de dispersão para comparar as múltiplas amostras de treinamento para cada combinação de banda única da camada de imagem. Veja se precisará coletar mais amostras, ou seja, se os pontos no gráfico estiverem muito sobrepostos a diferenciação das classes não será boa. Idealmente os pontos de classes diferentes devem se sobrepor pouco e estarem agrupados.
  • Após ajustado o número de amostras procede-se a classificação supervisionada. Um dos métodos mais utilizados é a da máxima verossimilhança, sendo que esta opção é a segunda da lista na ferramenta.
  • A ferramenta irá pedir o raster de entrada, arquivo de assinatura e arquivo de saída que são obrigatórios.
  • Ao processar, o que pode demorar um pouco dependendo do tamanho do arquivo,  o arquivo de saída mostrará o resultado da classificação, que será tão boa quanto foi sua coleta e análise das amostras.

Exemplo de resultado (fonte: Ajuda do ArcGIS)
  • O último passo, se necessário, é utilizar uma série de recursos para aprimorar o resultado como filtragem, suavização e generalização de polígonos. Veja mais aqui sobre estes recursos
Fonte: Adaptado de ESRI

TÓPICOS RELACIONADOS

29 setembro 2017

Antes de plotar seu mapa, verifique estes 10 items

Um mapa pode se tornar um excelente mapa apenas com uma simples checagem da lista abaixo. O site exprodat.com trás uma interessante matéria sobre isto com um check-list que pode ajudar muito a deixar mapas mais profissionais. Adaptamos a lista abaixo e adicionamos comentários que consideramos importantes. 

Clique aqui para ver um esquema visual dos principais pontos a verificar abaixo.

1-Barra de escala e texto de escala. Não pode faltar e tem de ser compatível e as divisões devem ser útil para o usuário final;

2-Informações geodésicas. Projeção, datum, esferóide, elipsóide e até EPSG quando possível devem ser adicionados;

3- Mapa de localização ou indicador de extensão. Muito importante para mostrar o contexto onde seu mapa está inserido, importante para quem não tem muita habilidade na leitura de um mapa;

4-Legenda e Simbologias. Não podem faltar. Procure agrupar pontos, linhas e polígonos de mesmo contexto e procure que nada visível falte na legenda;

5-Referências e Citações. Incluir copyright e informações de fonte dos dados é uma prática muito importante que conferem profissionalismo ao trabalho;

6-Grids e Quadrículas. Importante mas, para funcionar bem, preste atenção ao espaçamento entre linhas, use cruzes apenas em mapas de grandes escalas.
Uma dica é usar em folhas A4 uma linha de grid a cada 4 a 6 cm, A3 de 6 a 8cm e A0 uma a cada 14 a 16cm;


7-Tamanho da Fonte. Procure seguir estes numeros ou algo próximo (pt):

Folha
Fonte e Copyright
Legenda, escala e dados geodésicos
Título
Seta Norte
Quadrícula
Grid UTM
A4
4
6
8
40
6
4
A3
6
8
10
80
8
6
A0
10
10
14
150
12
10


8-Correção ortográfica. O ArcGIS/QGIS não tem um corretor ortográfico, então verifique sempre e corrija qualquer erro ortográfico que encontrar;

9- Labels. Verifique se todos os labels estão visíveis e se são necessários. Muitos labels podem dificultar a compreensão do mapa. Utilize técnicas modernas de agrupamento e key numbering disponívels na Maplex Label Engine;

10-Orientação do mapa. Apesar de muitos cartógrafos acharem que não é mais necessário incluir seta norte devido a grande maioria dos mapas terem orientação norte por default, é muito recomendável colocar. Também pode-se rotacionar o dataframe para melhor organizar os dados na folha e então a seta norte será fundamental para indicar esta rotação ao leitor do mapa.

28 setembro 2017

Criando um efeito de sombreamento no ArcGIS

Uma maneira simples de criar um efeito 3D de sombreamento (drop shadow) é usando a representação cartográfica.
Basicamente dois passos são necessários para criar este efeito:

1-Converter uma feature class seleciona em figura de representação cartográfica (Figura 1)
2-Aplicar o efeito de movimento na representação.

  • Para iniciar, adicione a feature class ao ArcMap (só funciona com feature class em geodatabase);
  • Selecione o polígono que queira destacar e com clique direito do mouse, aponte para "Convert Symbology to Representation..."

Figura 1: Convertendo para Representation
  • Clique com o direito na representação criada, propriedades, aba simbologia, em Solid color pattern, selecione Gray 70%
  • Clique no simbolo + e adicione um MOVE EFFECT
  • Mude X Offset para 2pt e Y Offset para -2pt. Vide Figura 2 e o resultado na figura 3. 
  • Quiser alterar e testar outros efeitos, adicione a barra de ferramentas Representation ao seu workspace e teste todas as opções.
Figura 2 - Configuração da representação para criar o efeito drop shadow.
Figura 3 - Efeito drop shadow pronto. Ler mais

TÓPICOS RELACIONADOS

08 setembro 2017

Conheça o Mapa mundial de ventos e ondas oceânicas

O Earth Wind Map é um projeto que disponibiliza em um globo no estilo do Google Earth uma visualização das condições climáticas globais com ênfase nos ventos de superfície e altitude. Os boletins meteorológicos são gerados por supercomputadores e atualizados a cada três horas. 
A superfície estimada do oceano é atualizadas a cada cinco dias.
As temperaturas de superfície do oceano e anomalia da média diária (1981-2011) são atualizadas diariamente.
 As estimativas das ondas oceânicas são atualizadas a cada três horas.

Confira este projeto super interessante no site: https://earth.nullschool.net/pt/ . Outros Projetos semelhantes são o Ventusky e o Windy.

fonte: earth.nullscholl.net


TÓPICOS RELACIONADOS

06 setembro 2017

Baixe imagens Sentinel 2 facilmente para o Brasil


Imagens Sentinel 2 para o Brasil estão disponíveis para download diretamente dos servidores da

Amazon, sem precisar navegar nem registrar para fazer o download.

Basta seguir o roteiro abaixo:

PS: Dica do nosso colega Charles Teixeira.


TÓPICOS RELACIONADOS

31 agosto 2017

Status do CAR - Últimos Updates

ATUALIZAÇÕES MAIS RECENTES....


CLIQUE AQUI E ACESSE OS NÚMEROS MAIS RECENTES DISPONIBILIZADOS PELO SFB



↦Até  31 de Agosto de 2017, já foram cadastrados, mais de 4.3 milhões de imóveis rurais, totalizando uma área de 413.249.830 hectares inseridos na base de dados do sistema.



Fonte: florestal.gov.br/numeros-do-car
_________________________________________________

TÓPICOS RELACIONADOS:

30 agosto 2017

SWMaps - Candidato a substituto do ArcPAD ?


Se você ainda procura um bom substituto para o velho e bom ArcPAD e não se adaptou ao Collector for ArcGIS, sugerimos tentar o SW Maps.


O SW Maps é um aplicativo GIS gratuito para Android produzido pelos amigos da Softwel do Nepal.
O aplicativo possibilita carregar shapefiles, simbolizar com base nos atributos (o que poucos fazem), além de permitir a navegação, coleta de dados via gps e manualmente além de exportar e compartilhar informações via android.

Algumas de suas principais funções são:

  • Layer overlay (shapefile e kml sob Google maps e OSM);
  • Coleta de dados (pontos, linhas, polígonos com campos definidos pelo usuário além de geo foto);
  • Exportação, importação e compartilhamento (kml, shp, projetos);
  • Suporte a GPS bluetooth (para conectar gps rtk e outros de precisão);
  • Tracks: Grava trilhas com medição de distância;
  • Templates: Carrega e salva templates predefinidos no aplicativo.
Baixe já da Play store e faça bom uso. Compartilhe sua opinião.



TÓPICOS RELACIONADOS

28 agosto 2017

Conectar Base de Dados do INCRA ao ArcGIS e QGIS (Atualizado 2017)

Atualmente os serviços web de mapas conhecidos como WMS permitem a publicação e disponibilização de grandes bancos de dados espaciais na internet e a ligação destes com aplicativos desktop como ArcGIS e QGIS. O INCRA disponibiliza todas as propriedades georreferenciadas atualizadas diariamente na sua base de dados. 
Recentemente o INCRA atualizou os links wms para seus bancos de dados, dividindo-os por estado. Abaixo os novos endereços e como conectar via software ou na web.


Links WMS para cada tipo de camada (atualizado em Março 2017)

IMPORTANTE: Nos links abaixo, substitua o xx do final do link pela abreviação do seu estado de interesse. Para Rio Grande do Sul por exemplo, substitua o xx por rs
  • Imoveis Certificados - SNCI - Lei 10267/2001 - Privado
WMS:
http://acervofundiario.incra.gov.br/i3geo/ogc.php?tema=imoveiscertificados_privado_xx
DOWNLOAD SHAPEFILE:
http://acervofundiario.incra.gov.br/i3geo/ogc/index.php?temaDownload=imoveiscertificados_privado_xx

  • Imoveis Certificados - SNCI - Lei 10267/2001 - Publico
WMS:
http://acervofundiario.incra.gov.br/i3geo/ogc.php?tema=imoveiscertificados_publico_xx
DOWNLOAD SHAPEFILE:
http://acervofundiario.incra.gov.br/i3geo/ogc/index.php?temaDownload=imoveiscertificados_publico_xx
  • Imoveis Certificados Sigef -Particular
WMS:
http://acervofundiario.incra.gov.br/i3geo/ogc.php?tema=certificada_sigef_particular_xx
DOWNLOAD SHAPEFILE:
http://acervofundiario.incra.gov.br/i3geo/ogc/index.php#?temaDownload=certificada_sigef_particular_xx
  • Imoveis Certificados Sigef-Publico
WMS:
http://acervofundiario.incra.gov.br/i3geo/ogc.php?tema=certificada_sigef_publico_xx
DOWNLOAD SHAPEFILE:
http://acervofundiario.incra.gov.br/i3geo/ogc/index.php#?temaDownload=certificada_sigef_publico_xx



➽ Explore a tabela de atributos: Clique aqui (substitua o rs no final do link pelo seu estado)
➽ Dados i3Geo em kml - Clique aqui
            ➽ Nova interface de dados Incra