Mostrando postagens com marcador geodatabase. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador geodatabase. Mostrar todas as postagens

23 março 2016

Geopackage: Saiba mais sobre o formato que pretende substituir o shapefile !

Um formato aberto para a Informações Geoespacial. Este é a finalidade do novo formato que vem se popularizando nos últimos tempos e pretende se tornar padrão  aberto de arquivo espacial, função que o Shapefile ainda segue fazendo atualmente.


GeoPackage, cujo extensão de arquivo é o .gpkg, é baseada em padrões abertos, independente de plataforma, portátil, compacta para a transferência de informações geoespaciais. Foi desenvolvido pela OGC (Open Geoespacial Consortium), pensado especialmente para o mundo Mobile mas é independente de plataformas.

A especificação GeoPackage descreve um conjunto de convenções para armazenamento de dados espaciais dentro de um banco de dados SQLite:

Podem compor um gpkg:
  • Vetores
  • Tiles, arquivos raster e matrizes em várias escalas
  • esquema (campos de tabelas)
  • metadados
  • extensões
Como o gpkg é na essência um banco de dados, ele pode ser aberto e editado diretamente, sem necessidade de conversões de dados ou arquivos intermediários.
  • O ArcGIS a partir da versão 10.2.2 suporta abertura e edição de geopackage;
  • O QGIS via biblioteca GDAL/OGR e também abre e edita geopackages.
  • DICA: Para exportar um layer para gpkg no QGIS basta clicar com o direito, Save as... e escolha Geopackage como formato.
TÓPICOS RELACIONADOS

10 agosto 2015

Lendo File Geodatabase no QGIS

Finalmente é possível ler geodatabases do tipo File no QGIS. 
Basta instalar um plugin do Gdal. Confira no documento criado pela ForestGIS no link abaixo como executar os passos e obter acesso (somente-leitura) a um file geodatabase.


Compartilhe o conhecimento com mais pessoas, clique abaixo e compartilhe este post.





TÓPICOS RELACIONADOS:

02 julho 2015

Como dimensionar feições no ArcGIS ?

Muitos se perguntam se no ArcGIS existe ferramentas de dimensionamento como aquelas do AutoCAD.

Bem, elas existem sim mas não ficam tão explicitamente acessíveis quanto no AutoCAD. É preciso explorar um pouco mais para achá-las e usá-las.

Pois bem, primeiramente é preciso dizer que elas só funcionam em geodatabase e são um tipo especial de feature class de anotações.

Vamos lá:

-Via ArcCatalog, dentro do geodatabase de seu projeto, clique com o direito do mouse sobre o geodatabase ou feature dataset e aponte para New> Feature Class;
-Na Janela New Feature Class, adicione um nome e um alias para a classe de dimensões que está criando.
-Importante: Em Type, selecione DIMENSION FEATURES. Isto dirá ao ArcGIS que este classe conterá as dimensões e não shapes normais;
-Basta prosseguir e finalizar, mas sempre escolha o mesmo sistema de coordenadas que estiver usando no mapa e no geodatabase assim evitará problemas na edição.

-Pronto. Basta adicionar a feature class criada no mapa, iniciar edição e na janela Create Features, na sessão Construction tools (figura abaixo) você encontrará todas as ferramentas para dimensionar, assim como no AutoCad.
 Quer aprender mais? Clique aqui

Gostou? Comente abaixo e Compartilhe nas suas redes sociais de GIS e ajude nosso blog a crescer e disseminar informação útil a todos. !! Obrigado.

TÓPICOS RELACIONADOS:

26 maio 2015

Raster como atributo no feature class

Você sabia que é possivel armazenar uma foto/raster qualquer em um campo de uma feature class em um geodatabase?


  • Crie/abra uma feature class no seu ArcMap
  • Abra a tabela de atributos, clique add field
  • Selecione o Type: Raster, coloque um nome

Obs: O campo "Managed by GDB" indica se você quer armazenar as fotos internamente no geodatabase (YES) ou quer armazenar apenas o caminho para elas e voce manterá as fotos em uma pasta fora do geodatabase (NO).
  • Pronto, seu campo está criado. Para adicionar uma foto ao polígono, linha ou ponto, inicie a edição, selecione o registro;
  • A imagem ao lado ilustra o processo de carga de uma foto...


  • Alternativamente, pode-se usar HTML Pop-up para mostrar imagens e links web e ainda strings de pesquisa em websites como bing e google. Veja como.

28 abril 2015

O Sistema Geodatabase do IPEF

Fonte: IPEF acessado em ipef.br/geodatabase
IPEF (Institudo de Pesquisas e Estudos Florestais) possui uma página com mapas temáticos referentes ao clima, à geologia, ao relevo e às informações político-administrativas do Brasil e Uruguay num projeto chamado Sistema geodatabase.

O Sistema Geodatabase do IPEF foi estabelecido para proporcionar acesso a informações edafo-bio-climáticas espacializadas (mapas) as quais são cada vez mais necessárias para as atividades de pesquisa e planejamento florestal.



17 março 2015

GADM 2 - completa base administrativa geopolítica mundial

Procurando por uma base de dados espacial com a divisão geopolítica mundial atualizada e integrada, com sub-divisões atuais e com banco de dados anexo?
Apresentamos o projeto GADM 2. 

Fonte: www.gadm.org
GADM é um banco de dados espacial da localização das áreas administrativas do mundo (ou limites administrativos impostos) para uso em GIS e software similar. Áreas administrativas neste banco de dados são países e subdivisões de nível inferior, como províncias, estados, departamentos, bibhag, Länder, daerah Istimewa, fivondronana, Krong, landsvæðun, Opstina, sous-prefeituras, municípios, e Thana. GADM descreve onde estas áreas administrativas são (as "características espaciais"), e para cada área que fornece alguns atributos, tais como o nome e os nomes de variantes.

GADM Versão 2 tem, entre outras coisas, dados ainda mais detalhados para a Bélgica, Bósnia-Herzegovina, Croácia, Cuba, República Dominicana, Luxemburgo, Estônia, França, Hungria, Nepal, Turquia, Suíça, Síria, Uzbequistão e Venezuela. Sudão foi dividido em dois e algumas ilhas do Caribe foram divididos ou reorganizados. Com poucas exceções, a segunda subdivisão já foram mapeada para todos os países. A versão atual do GADM delimita 556049 áreas administrativas ou 218.238 se você contar apenas o nível mais baixo para cada país. (Tradução automatizada)

Confira, baixe agora mesmo a base gratuitamente:
-Em Shapefile (333 MB)
-Em personal Geodatabase (359 MB)

Ou ainda baixe um país individualmente em: http://gadm.org/country

19 agosto 2014

Annotations ligadas à feição no geodatabase

Feature-linked geodatabase annotation

Annotations são labels armazenadas em uma feature class especial do geodatases na forma de texto. Se você quiser que o texto seja formatado e usado em muitos mapas, você deve guardar o seu texto como anotação dentro do geodatabase. Você pode criar esse tipo de feature class em qualquer ArcMap ou ArcCatalog. Pode ainda criar a partir das labels de um layer no ArcMap.

-Se você não tiver uma feature class de annotation, adicione seu layer, configure seu label (De preferencia com um label to tipo leader)
-Clique com direito do mouse no seu layer com as labels, no ArcMap;
-No menu de contexto, vá para "Convert Labels to Annotation"
-Na janela que abrir, seleciona "In a database" e "All features"
-Na tabela clique na com o titulo "Annotation Feature class" e coloque um nome para a classe
-Clique em "Convert".

Seus labels serão convertidos em annotation e a feature class criada já será adicionada ao ArcMap como um novo layer. Agora basta iniciar uma sessão de edição e poderá construir novas annotations, excluir, alterar formatação e posição.
Uma ferramenta nova será ativada ao lado do "Editor" que ajudará na tarefa de posicionamento.

26 maio 2014

01 abril 2014

Curso de Geodatabase no ArcGIs 10.2

Fonte: esri.com
A MundoGeo promove curso a distância sobre Geodatabase e prática com o mesmo.

O conteúdo previsto abrange desde a instalação do software passando por pontos com configuração e padronização de dados, criação de base e domínios até a temida topologia de camadas.

O curso gravado tem um prazo de 2 meses para ser concluído com uma carga total prevista de 8 horas. O valor do investimento é R$ 300,00 e é ministrado por George Serra, Instrutor e Consultor da empresa Geosert.

Clique aqui para se inscrever.

16 dezembro 2013

IBGE atualiza e disponibiliza base 1:250 mil do País todo.

  • IBGE alterou novamente os links para dados shapefile e geodatabase das bases de dados de mapeamento sistemático. Confira no menu Downloads do blog para o endereço mais atual sempre que estes links abaixo estiverem quebrados.
  • O acesso é via FTP. Agora os dados são disponibilizados em arquivos zipados de acordo com a clásse temática. Para acessar, clique aqui.
  • Clique aqui e veja a documentação do mapeamento e a descrição de legenda de cada classe.
  • Alternativamente, use no Filezilla o endereço  host abaixo com username e senha anonimos:  ftp://geoftp.ibge.gov.br/cartas_e_mapas/bases_cartograficas_continuas 

Fonte: IBGE
FONTE: FTP DO IBGE (Links direcionam para lá)

03 julho 2013

Salvando e mostrando imagens e fotos em feature classes

Caros, segue mais um vídeo tutorial garimpado na internet que mostra como guardar imagens e fotos dentro de feature classes, em campos no atribute table facilmente, além de exibí-las posteriormente.
Apesar do vídeo ser inglês, é auto explicativo e seguindo as telas você saberá exatamente como fazer, acompanhe:

Fonte: Youtube, canal SIYAF KHAN
#DicasArcGIS

25 abril 2013

Esri divulga nota sobre problema grave encontrado em geodatabases

Problema:
Fonte: scoop.it
Arquivo Geodatabase criado em um compartilhamento de rede a partir de um Windows 7 SP1 ou R2 SP1 máquina Windows 2008 com Microsoft hotfix cumulativo KB 2775511 instalado são inutilizáveis​​.
Uma mensagem de erro referenciando o ItemType aparece quando da criação de novos datasets (tabelas, feature classes, conjuntos de recursos, conjuntos de dados raster, e assim por diante) em um File Geodatabase criado sob as circunstâncias antes mencionadas.

Por exemplo, a seguinte mensagem é exibida ao criar uma nova classe de recurso:


"Failed to create feature class. 
The item was not found. [ItemType: 
{70737809-852C-4A03-9E22-2CECEA5B9BFA}]" 

Esri está atualmente trabalhando em um patch para atenuar esse problema.

Causas:
Essa questão ainda está sob investigação.

Solução:
Existem várias soluções para este problema:
• Crie o arquivo geodatabase localmente antes de copiá-lo para o compartilhamento de rede. Note-se que esta solução não é aplicável quando a criação de conjuntos de dados raster.
• Verifique com a equipe de TI da sua empresa para ver se as políticas de segurança da sua organização permitem desinstalar ou desativar o conjunto de correcções, de acordo com as diretrizes previstas no link abaixo.
• Se houver necessidade de criar conjuntos de dados raster ou o patch não pode ser desinstalado ou desativado, o file geodatabase pode ser criado e trabalhado localmente.

Remova o hotfix com a ferramenta a seguir, clique aqui

Fonte: Email de notificação da Esri. Tradução livre

19 dezembro 2012

Labels no ArcGis: Multi linhas e cores é possível?

Uma dúvida muito comum no dia a dia do ArcGIS é sobre Labels (textos informativos do mapa que é proveniente da tabela de atributos). Como mostrar mais informações e de um jeito organizado é uma boa questão.
Usuários iniciantes e intermediários do ArcGIS muitas vezes não se dão conta ou ninguém os ensinou como tirar o máximo proveito das Labels.

1)Adicionando uma Label
Clique com o direito do mouse sobre o layer, escolha Properties.Na janela que abre, vá na aba Labels. Verá uma janela semelhante a abaixo:
-No ítem 1 Marque o checkbox para que a label seja ativada;
-Item 2 você escolherá a primeira opção caso queira mostrar labels normalmente ou a segunda opção caso queira mostrar labels apenas em determinados registros.
-Item 3 você seleciona os dados de qual campo do Att. Table deseja mostrar.
-Item 4 abre uma tela que possibilita personalizar a forma com que a Label é mostrada (veja mais abaixo)
-Item 5 possibilita personalizar Fonte, tamanho e estilo do texto da Label.
-Item 6 abre as opções de posicionamento da mesma;
-Item 7 possibilita escolher em que escala a label aparecerá. Algumas vezes não queremos mostrar labels à escalas muito pequenas pois não haverá coesão nos dados mostrados.
-Item 8 possibilita escolher estilos pré-definidos de labels, o que as vezes ajuda a ganhar tempo.

2)Criando Labels complexas 

No item 4 falamos das expressões complexas de Labels. Elas permitem ajustar a formatação e as informações do Label de uma forma mais completa. É possível deixar o texto em Negrito, Itálico, quebrar linhas, colorir, mostrar informações de vários campos em uma única Label.
Por exemplo. mostrar dois ID em uma mesma label, quebrando linhas entre elas, seria:
[New_ID]&vbnewline&[Old_ID]O comando & separa expressões e campos e o comando vbnewline adiciona uma linha em branco.
Para um campo ter uma cor diferente faríamos assim:
“<CLR Red=’255′>” & [New_ID] & “</CLR>” &vbnewline&”<CLR blue=’255′>”&[Old_ID]&”</CLR>”
O comando CLR seguido de Red Green e Blue permite indicar o RGB da cor para o ArcGIS e sua label será colorida de acordo. Função de arredondamento pode ser usada assim: Round ([AREA], 1)

Existe uma gama de códigos que pode ser utilizado para diversas finalidades, para ver mais, clique aqui

Para aprender mais sobre o Item 2; mostrar Labels de acordo com as informações que determinado campo contém, usando linguagem SQL, clique aqui

Tópicos relacionados
Como criar um Geodatabase - Feature Dataset, Feature Class, Domínios(Dropdowns)

15 dezembro 2012

Criando Domínios para seu Geodatabase

Antes de iniciar, vamos lembrar o que é um domínio de um geodatabase.
  • Domínio são regras que permitem o usuário preencher um campo de um attribute table sem cometer erros. Por exemplo, para preencher determinado campo,quero que apareça sempre uma lista de opções fixas e não me permita digitar algo, ou seja, evite erros de entrada de dados.



Criando o domínio

-Inicialmente, crie seu geodatabase se ainda não tiver um. Pode ser tanto file como personal geodatabase;
-No ArcCatalog, clique com direito do mouse sobre o mesmo, clique em Properties;
-A tela ao lado é mostrada;
-Inicialmente crie um nome para o domínio e ao lado descreva-o;
-Selecione o domínio criado, abaixo terá como escolher o tipo. Se Coded Values, será um valor listado que você digitará mais abaixo. Se for um tipo Range, você delimitará que valores numéricos fiquem sempre entre os valores máximos e mínimos, também definidos mais abaixo.
-A última opção então é para entrar ou com a lista de valores no caso de Coded values ou então o intervalo de dados que permitirá-se-á entrar no campo da tabela de atributos.

-Defina os valores de acordo com suas necessidades.
Associando um campo ao domínio criado
-Acesse a feature class ou tabela dentro do geodatabase via ArcCatalog;
-Clique com direito, propriedades;
-Vá na aba FIELDS;
-Selecione o campo que receberá o domínio
-Clique na lista e selecione o domínio que será associado (se não aparecer, veja se o campo é do tipo que o domínio foi criado-Coded para texto e outros e Range só para números)
-Repita se houver outros campos que deseja associar outros domínios;
-Clique Aplicar, OK.

Agora abra  a tabela de atributos e confira como a edição fica facilitada e a entrada de dados errados fica dificultada.

12 setembro 2012

IPEF lança base de dados espaciais para silvicultura

O Sistema Geodatabase* do IPEF foi estabelecido para proporcionar acesso a informações edafo-bio-climáticas espacializadas (mapas) as quais são cada vez mais necessárias para as atividades de pesquisa e planejamento florestal dos programas cooperativos do IPEF, das empresas associadas e da comunidade florestal em geral. Este sistema foi estabelecido em parceria com a Cooperativa de Produtividade Florestal (www.forestproductivitycoop.org).

O site dá acesso a duas bases de dados. Uma de acesso público, possui mapas em PDF de interesse dos florestais em geral. O outro nível de acesso é restrito aos associados do IPEF e possui diversas bases de dados de projetos destes associados.

Confira o projeto, acesse: http://www.ipef.br/geodatabase/


FONTE: ipef.br


*Geodatabase é um termo registrado pela ESRI. O ForestGIS apenas cita o termo usado no site do IPEF.

13 abril 2012

Blog ForestGIS lança espaço para compartilhamento de shapefiles


O nosso Blog ForestGIS inaugura hoje uma página especial dedicada ao intercâmbio de informações geográficas em shapefiles e outros formatos também. 
Viemos observando a falta de espaços na internet que centralizam informações geográficas e também, quando postávamos links para shapefiles e informações úteis no dia a dia o número de acessos era muito grande.
Resolvemos então criar este espaço acessível no menu "Download de shapefiles" no blog. Este nome é apenas para ser um chamativo a mais mas não quer dizer que os pageviewers encontrarão somente shapefiles mas sim uma gama de links para sites que disponibilizam conteúdo geográfico. Este espaço iniciou hoje e ao longo do tempo iremos adicionar muitos links mais, então visite periodicamente o blog e sempre que precisar de conteúdo para seus trabalhos lembre-se de nós!

Fique a vontade para usar os comentários da página para sugerir fontes de dados, pedir informações que por ventura estejam precisando. Quem sabe a comunidade GIS não possui e nos envia um link? Esta é a idéia.

Acessem e compartilhem !

06 abril 2012

Dica Rápida: Linhas para Polígonos no ArcGIS

Uma maneira nova para converter linhas para polígonos no ArcGIS, muito útil para converter arquivos cad ou outros em shapefile polygon para extrair a área. Veja abaixo na rápida demonstração:

Além disso, a versão 10 trás uma maneira mais fácil de converter um arquivo AutoCAD para shapefile. A tool chamada "CAD to Geodatabase" dentro da toolbox Convertion tools>To Geodatase possibilita entrar com seu arquivo CAD e exportar todo ele para um geodatabase novo. o ArcGIS então criará todas as feições disponíveis. Claro que as vezes os arquivos cad são tão mal feitos que a conversão pode ser parcial ou apresentar algumas inconsistências.

22 novembro 2011

A Topologia precisa ser mais explorada

Alguma vez você já se perguntou se seu geodatabase estaria ok, se não haveriam polígonos que não deveriam ser sobrepostos mas na verdade estão sobrepostos em algumas partes? Se há polígonos que deveriam cobrir outros totalmente e não estão - chamados gaps - ? como prevenir isto? como facilmente identificá-los?

Pois é estas e muitas outras dúvidas são respondidas pela ferramenta de topologia do geodatabase que muito pouca gente conhece infelizmente, mas que ajuda imensamente na tarefa de "passar a limpo" sua base de dados

Nós da Forest-GIS criamos um vídeo que mostra passo a passo como criar e executar uma correção topológica, assistam e comentem abaixo:
Dica: Mude a resolução do vídeo para 1080 px - Clique na engrenagem para mudar

Ainda é possível acompanhar passo a passo a criação de uma topologia de GeoDB neste super tutorial tela a tela preparado pela ESRI: 
Clique aqui: http://webhelp.esri.com/arcgisdesktop/9.2/tutorials/Editor_Ex7_1.htm


TÓPICOS RELACIONADOS:

15 julho 2011

Domínios, Subtipos e Relações no geodatabase


Uma das vantagens de armazenar seus dados em um geodatabase é que você podedefinir regras sobre como os dados podem ser editados. Neste exercício, você vai vercomo definir essas regras, criando um novo atributo de domínio para os diâmetroslateral. Mais tarde você vai ver como criar subtipos para a classe característicaLaterais; e associar o novo domínio, os domínios existentes, e os valores padrão com campos para cada subtipo.


Domínios de atributos são regras que descrevem os valores legais de um tipo de campo. Feature classes múltiplas e tabelas podem compartilhar domínios de atributos armazenados no banco de dados. No entanto, nem todos os objetos em uma classe de feição ou tabela precisam compartilhar o mesmo atributo de domínios.



Vejam este super help da ESRI mostrando esta super dica que otimiza e evita erros na edição de dados em geodatabase. Abra o link, após terminar clique em NEXT que são três capitulos consecutivos:


Tópicos relacionados



16 junho 2011

Quais as diferenças entre File geodatabase e Personal geodatabase ?

File geodatabase vs Personal geodatabase

File e personal geodatabase, que estão disponíveis gratuitamente a todos os usuários do ArcGIS (ou seja, os usuários do ArcView, ArcEditor e ArcInfo), são projetados para suportar o modelo de informação completa do geodatabase. Isso inclui topologias, catálogos raster, conjuntos de dados de rede (network), bancos de dados de terreno (3D), os localizadores de endereço, e assim por diante. File e personal geodatabase são projetados para serem editados por um único usuário e não suportam versionamento. Com um file geodatabase, é possível ter mais de uma pessoa editando ao mesmo tempo, desde que esteja editando em diferentes DataSets, Feature Classes ou tabelas. 

O File geodatabase é um tipo de geodatabase novo, lançado na versão 9.2. Seus objetivos são:

  • Fornecer uma solução amplamente disponível, simples e escalável para todos os usuários.
  • Fornecer um geodatabase portátil que funciona em vários sistemas operacionais.
  • Escala para lidar com conjuntos de dados muito grande.
  • Proporcionam excelente desempenho e escalabilidade, por exemplo, para apoiar os conjuntos de dados individuais contendo mais de 300 milhões características e conjuntos de dados que pode ser dimensionado para além de 500 GB por arquivo com um desempenho muito rápido.

Use uma estrutura de dados eficiente, que é otimizado para desempenho e armazenamento. File geodatabase usa cerca de um terço do armazenamento da geometria exigida pelo shapefiles e Personal geodatabase. File geodatabase também permite que os usuários comprimam dados de vetor para um formato de somente leitura para reduzir os requisitos de armazenamento ainda mais.


Personal Geodatabases têm sido utilizados em ArcGIS desde seu lançamento na versão 8.0 e tem usado a estrutura do Microsoft Access como arquivo de dados (mdb). Eles são limitados em tamanho a até 2 GB. No entanto, o tamanho do banco de dados efetiva é menor, algo entre 250 e 500 MB antes de o desempenho do banco de dados começar a desacelerar. Personal Geodatabases também são suportados apenas no sistema operacional Microsoft Windows.  Muitos usuários realmente gostam da capacidades de manipulação do Microsoft Access para trabalhar com valores de atributo.


ArcGIS continuará a suportar Personal Geodatabases para fins diversos. No entanto, também é altamente recomendável usar o file geodatabase. É ideal para trabalhar com conjuntos de dados baseado em arquivo para projetos de GIS, para uso pessoal, e para uso em pequenos grupos de trabalho. Ele tem desempenho forte e escalas bem maior para comportar volumes de dados extremamente grandes sem exigir o uso de um SGBD.Além disso, ele é portável entre sistemas operacionais.

TÓPICOS RELACIONADOS: