Mostrando postagens com marcador qgis. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador qgis. Mostrar todas as postagens

07 abril 2017

Confira a lista de plugins mais populares para QGIS

Uma das coisas que mais atraem os usuários do QGIS é a possibilidade de encontrar plugins para muitas e muitas funções de geoprocessamento. Algumas que nem mesmo o ArcGIS é capaz de executar.
Se você busca alguma ferramenta para alguma função que não existe nativamente no QGIS, tente buscar no site de plugins do QGIS. 
Atualmente (Abril 2017) existem 743 plugins disponíveis para download no repositório - Clique aqui para acessar
Dentre os mais populares está o OpenLayers Plugin com mais de 1,26 milhões de downloads, seguido pelo MetaSeach Catalogue com mais de 400 mil downloads, do mmqgis com 376 mil e Table Manager com 305 mil.
Confira a lista dos 15 plugins mais populares para QGIS.


Tela do repositório ed plugins do QGIS em 7 de abril de 2017



































25 outubro 2016

QGIS 2.18 "Las Palmas" disponível para o público

O QGIS 2.18 Las Palmas é o último lançamento da série 2.x do QGIS.
A versão Longo Prazo Release (LTR) permanece sendo a versão 2.14.x.

Esta nova versão oferece melhorias incrementais sobre a versão anterior. A maioria das atividades estão focadas para o desenvolvimento do QGIS 3.0, que é o próximo lançamento de geração prevista para o final do primeiro trimestre de 2017.

Atualize sua versão - Baixe           |            Novidades da versão

TÓPICOS RELACIONADOS

01 setembro 2016

Descobrir qual Datum e Projeção de seus dados espaciais

Como descobrir qual o datum e projeção de um arquivo shapefile, por exemplo, que recebeste por email de um colega para trabalhar ou mesmo que tenha baixado de algum site como o nosso?

Clique para ampliar
Para responder esta pergunta podemos utilizar basicamente quatro métodos diferentes:
  • 1) ArcGIS: Adicionando este arquivo como uma layer no ArcGIS, clique com o direito do mouse, vá na opção Properties. Na aba Source você terá a informação da extensão do arquivo, o que muitos chamam de coordenadas do retângulo envolvente e também o que você busca, a Projeção e o Datum do arquivo. Veja:

Clique para ampliar

  • 2) QGIS: No QGIS, adicione o layer, clique com o direito e vá em propriedades também. Vá na aba Metadados e no campo Properties. Role até aparecer a sessão "Layer Spatial Reference System". Veja:


  • 3) Arquivo: Se seus conhecimentos forem um pouco mais avançados, poderá abrir o arquivo com extensão prj de seu arquivo shapefile no notepad (bloco de notas). Basicamente só funciona com shapefiles. Lá estará descrito os parâmetros de projeção que seu software GIS usará para projetar os dados. Veja:
Clique para ampliar
  • 4) Website: O último metodo consiste em carregar o arquivo PRJ já falado acima no seguinte website: http://prj2epsg.org/search. O script neste site analisará o arquivo e lhe dirá qual o sistema de coordenada utilizado, isto nos formatos EPSG oficiais. 

Espero que isto lhe ajude a decifrar em qual projeção e datum seus dados estão atualmente.


TÓPICOS RELACIONADOS

18 agosto 2016

Classificação de Imagens no QGIS

O Plugin SCP (Semi-Automatic Classification Plugin) foi desenvolvido para o QGIS e possibilita a classificação pixel a pixel semi-automática ou supervisionada de imagens de satélite diversos, dentre eles o Landsat, GeoEye, RapidEye, Quickbird, dentre outros.

  • Para Instalar o plugin, vá no menu Plugins>Manage and Install Plugins
  • Na caixa de procura, digite :Semi-Automatic Classification
  • Selecione e clique em Install Plugin.
Com o plugin instalado, basta abrir a ferramenta, adicionar suas imagens, aplicar correção atmosférica se necessário, recortar área de interesse, compor as bandas, definir as categorias (e amostras se for supervisionado) e efetuar a classificação em si. Complicado? Muitos passos? Não se preocupe, o blog qgisbrasil.org elaborou um super tutorial com cada passo. Confira no link abaixo



TÓPICOS RELACIONADOS

20 maio 2016

Reclassify: Como e para que usar?

As ferramentas de reclassificação raster são utilizadas para reclassificar ou alterar os valores das células para valores alternativos usando uma variedade de métodos. Você pode reclassificar um valor de cada vez ou grupos de valores de uma vez com base em critérios, tais como intervalos específicos (por exemplo, agrupar os valores em intervalos de 10); ou por área (por exemplo, o grupo de valores em 10 grupos que contêm o mesmo número de células). As ferramentas são projetadas para permitir que você altere facilmente muitos valores em um raster de entrada para os valores desejados de saída.

Onde estão as ferramentas?
QGIS: Processing Toolbox RasterEdition Reclassify Grid Values ou use o Grass: Rasterr.reclass.
ArcGIS: Toolboxes: Spatial Analyst Tool→Reclass→Reclassify

Como Funciona?
Basta acessar a ferramenta (veja acima onde) e escolher o arquivo raster de entrada. Suponhamos que tenha um arquivo cujos valores de célula variem de 0 a 1. Queremos agregar estes valores em classes inteiras, por exemplo, de 0 a 0.2, receberão valor 1, 0.2 a 0.4 classe 2, etc...veja abaixo. Basta digitar os intervalos e o novo valor. Pode utilizar o botão Classify para que o software, no caso do ArcGIS, ajude-o na classificação. 
No QGIS precisará criar um arquivo txt com as classes e novos valores (veja como)

Concluído o processamento, você terá um novo raster com as novas classes definidas conforme parâmetros de reclassificação usados. 
Converter para Vetor?
Precisa converter para vetor, no QGIS basta rodar Raster ‣ Conversion ‣ Polygonize (Raster to Vector) e no ArcGIS, Conversion Toolbox ‣ From Raster ‣ Raster to Polygon.

TÓPICOS RElACIONADOS

19 maio 2016

Mapa de Risco de Incêndio

Fonte:wildfireplan.org (editado)
Uma das principais tarefas de um analista GIS no setor florestal é criar mapas de risco de incêndio das propriedades para ser utilizado nas campanhas de combate e principalmente prevenção dos mesmos.
São muito comum as dúvidas dos passos a serem tomados para a criação de um mapa útil de risco de incêndio. Inicialmente podemos usar duas abordagens: Uma simplificada e outra mais complexa, dependendo dos dados que você tenha disponível !



Simplificado: Vá até o site http://www.dpi.inpe.br/proarco/bdqueimadas/focos2proj.html e baixe em shapefile diretamente os focos de incêndio detectados pelos satélites desde 1998 até hoje. De posse deste
Point Density Tool (ESRI)
shapefile de pontos, adicione no ArcMAP. Com estes dados e dados de umidade relativa de alguma estação meteorológica é possível utilizar a Fórmula de Monte Alegre (críticas a parte) e calcular o índice de perigo de incêndio. (Saiba mais sobre a FMA clicando aqui.)

Utilizando a função do Spatial Analyst chamada Point Density ou Kernel Density (imagem ao lado) podemos criar rapidamente um raster chamando de HEAT MAP ou mapa de calor, mostrando a concentração de focos de incêndio durante o tempo. Isto nos dá brevemente um resultado
Mapa de calor do RS com dados de pontos
de calor de 2015 e 2016 criado no QGIS
mostrando historicamente a probabilidade de ocorrência de incêndio em determinada região que possuirá uma correlação muito alta com o mapa detalhista mostrado a seguir.


Complexo: Como Sabemos, a ocorrência e propagação dos incêndios florestais em uma região dependem de vários fatores associados ao fenômeno de combustão. Devemos então ter mapeados layers que mostrem a probabilidade de haver uma fonte de fogo e a de condições deste se propagar gerando assim um zoneamento multifatorial de risco de incêndios.
   Recomendaria começar com algumas variáveis como exposição (slope ou Aspect) da área definindo qual a mais propensa a riscos e mapeando a cobertura vegetal, além de mapas de alterações antrópicas como estradas, rodovias, etc..
De posse de todos estes layers, temos que sobrepor estes. Não unicamente sobrepor, mas efetuar algebra entre mapas ponderando os fatores mais importantes para o risco de incêndio (Ver metodologia AHP - Método Analítico Hierárquico [Veja um trabalho sobre isto]).

Obtendo uma equação de pesos, podemos aplicar no ArcGIS Raster Calculator mesmo. Por exemplo temos que (0,45*aspect + 0,35*coberturavegetal + 0,20*antropico). Esta é uma simples e empírica fórmula que mostra a composição percentual de cada variável no mapa final. Colocando isto no raster calculator o mapa final será a ponderação de cada uma, ou seja, o mapa de risco potencial de incêndios na área. Veja mais

-INPE fornece mapas de Risco de Incêndio diário a nível de estado

Dúvidas? Novas idéias? Contribuições?
Clique no link de comentários abaixo e deixe sua pergunta que será respondida!

31 março 2016

Conheça um pouquinho de Model Builder - Pode ser muito útil


Model Builder nada mais é do que uma linguagem de programação visual para você automatizar fluxos de trabalho.


Linguagem de programação? Pareceu complicado não é? Pois não é não. Veja no vídeo abaixo como é fácil iniciar. Basta achar a ferramenta no toolbox e arrastar para o Model Builder e conectar as ferramentas aos arquivos. Começe com coisas básicas como um "Clip" e vá montando fluxos mais complexos com várias ferramentas. 
O Model Builder está presente em todas as versão do ArcGIS Desktop e também no ArcGIS PRO.

O QGIS nas últimas versões também introduziu sua versão de Model Builder chamada de Modelador Gráfico ou Graphical Modeler acessível no menu Processing. Veja como usar clicando aqui 


11 março 2016

Adicionar dados do Excel/Texto no QGIS e criar um shp de pontos !

Este breve tutorial vai mostrar como importar dados de uma planilha Excel ou de uma lista de coordenadas em texto ou csv para o QGIS e converter estes dados em um shapefile de pontos.

Primeiro, monte sua planilha com as coordenadas. O importante é que as coordenadas precisam estar em formato graus decimais. Como saber? Veja o formato e compare:

  • 52°39'17.838"W  29°9'4.057"S  ---- GMS (Graus Minutos Segundos)
  • (22J) 339030 6774137                ---- UTM
  • -52.654955,  -29.151127            ---- Graus decimais !!! Você está com sorte !


Não deu sorte, não tem problema  - Veja como converter suas coordenadas clicando aqui ou baixe o Orbis, o conversor de coordenadas da ForestGIS


  • Seus dados devem se parecer com a tabela ao lado:

  • Abra o QGIS, vá para no menu Layer>Add Layer> Add Delimited Text Layer
  • Em file name, aponte para seu arquivo xls, csv, dat ou txt
  • Em File Format, escolha o formato em que seus dados aparecem corretamente no grid no final da janela.
  • Pronto, clique OK e seus pontos devem aparecer. 
  • Para finalizar, clique com o direito sobre o layer, save as (salvar como) e salve o shp no local que desejar !

29 fevereiro 2016

QGIS 2.14.0 'Essen' liberado para download

Uma nova versão LTR (Longa duração) do QGIS, o software GIS open source mais popular disponível, foi a pouco disponibilizado para download.

-Veja o que mudou no QGIS 2.14 LTR
-Clique aqui, baixe a 2.14 e atualize sua versão !

-Compre o Livro "QGIS Map Design"da Anita Grasser e aprenda como fazer mapas realmente profissionais no QGIS. Clique no botão "Look inside"para ver o conteúdo do livro antes de comprar !

01 setembro 2015

Como funciona: Dissolve no ArcGIS e Dissolver no QGIS.

Você já deve ter se deparado com a seguinte situação: Você recebeu um shapefile ou feature class contendo dezenas de campos com diversas informações em cada um. Muitos destes campos as informações se repetem e você deseja simplificar estes dados de modo a agregar todas as informações iguais naquele campo, obtendo um resultado assim:
Exemplo. Agregar municipios para gerar um shape de estados.
Normalmente você selecionaria estes dados iguais e faria uso do comando "merge", mas temos uma ferramenta que faz isso automaticamente, tanto no ArcGIS quanto no QGIS: Dissolve no ArcGIS ou Dissolver no QGIS.
Como funciona? 
Muito simples, basta executar a ferramenta que geralmente fica em ArcToolbox>Data Management Tools>Generalization>Dissolve ou no QGIS no menu Vetor>Geoprocessar>Dissolver.

No ArcGIS, a janela abrirá pedindo para:
- Incluir o shapefile (ou feature class) que deseja agregar os campos;
-Lugar a salvar o shapefile final;
-Quais os campos que deseja agrupar. Sim, é possível agrupar mais que um, faça um teste e verá o resultado.
-Ainda há opções de criar um novo campo de estatísticas e criar ou não um shapefile multi-partes ou merged.










No QGIS é ainda mais simples. A tela pedirá apenas para:
-Entrar com a camada que deseja agregar;
-Selecionar o campo a agregar (apenas permite um campo na versão Lisboa)
-Local de saída da nova camada gerada.

Esta ferramenta evita retrabalho ao utilizar o merge diversas vezes para obter o mesmo resultado. Se  a camada possuir muitos dados vale a pena sem dúvida utilizar o Dissolve ou Dissolver. 

Qualquer dúvida é só perguntar nos comentários abaixo

10 agosto 2015

Lendo File Geodatabase no QGIS

Finalmente é possível ler geodatabases do tipo File no QGIS. 
Basta instalar um plugin do Gdal. Confira no documento criado pela ForestGIS no link abaixo como executar os passos e obter acesso (somente-leitura) a um file geodatabase.


Compartilhe o conhecimento com mais pessoas, clique abaixo e compartilhe este post.





TÓPICOS RELACIONADOS:

QGIS Android Experimental !

QGIS para Tablets Android lançado em modo experimental na Google Play Store. 

Confira: Clique aqui

Confira também o QField for QGIS -Clique aqui


01 abril 2015

Exército Brasileiro lança plugin para QGIS

Exército Brasileiro lança plugin para QGIS que permite aos usuários a criação e utilização de produtos cartográficos de acordo com as especificações da EDGV / INDE

http://www.geoportal.eb.mil.br/index.php/dsgtools/dsgtools-generalidades
http://plugins.qgis.org/plugins/DsgTools/

23 fevereiro 2015

QGIS 2.8 LTR liberado para download

O QGIS acaba de ganhar uma versão de longa duração (LTR). 
Chamado de QGIS 2.8 Wien em homenagem a capital da Áustria, esta versão é a primeira a ser planejada para ter suportada por pelo menos um ano.

Baixe agora (Instalador avançado OSGEO4W)

30 julho 2014

Criação de "Atlas" no QGIS

As últimas versões do QGIS trouxeram melhorias significativas e dentre elas uma se destaca.
Como sabem, no ArcGIS temos o Data Driven Pages que nos permite a criação de mapas em série, ou seja, mapas em PDF com `n` páginas criados automaticamente pelo sistema.
Temos uma funcionalidade semelhante no QGIS, especificamente no Compositor de Mapas.

A ferramenta chamada de Atlas ou Gerador de Atlas. No Print composer do QGIS existem agora um menu chamado Atlas no qual você consegue dentre outras coisas ativar a funcionalidade, na aba lateral definir qual layer será seu gerador de páginas, pode ainda filtrar determinado campo da tabela de atributos, colocar títulos e campos dinâmicos, exportar para PDF multi páginas e muitos outros.

Confira neste vídeo passo a passo como gerar seu atlas

30 junho 2014

Versão 2.4 do QGIS liberada.

Fonte: gislounce.com
Nova Versão do QGIS liberada.

Versão 2.4 - QGIS Chugiak





A principal melhoria é a renderização em multi-threads, ou seja, quando ele desenha o mapa na tela estará usando vários processadores ao mesmo tempo ao invés de apenas um, o que acelerará o aplicativo. Veja mais

03 junho 2014

PostGIS - Uma alternativa gratuita ao ArcGIS Server


O blog sobre Geotecnologia livre "Processamento Digital" traz uma super apostila para quem sempre quiz ter sua base de dados enterprise porém nunca se atreveu a enviar aquele orçamento com o exorbitante custo de uma licença do ArcGIS Server (pode superar os 100 mil reais).

Poucos sabem que é possível fazer isto com software livre como o POSTGIS, que é um add-in para o banco de dados também livre chamado PostGreSQL que fornece suporte a dados geográficos, permitindo até mesmo importar seus shapefiles diretamente para a base e  torná-los disponíveis inclusive no ArcGIS e QGIS por meio de conexão a banco de dados.

Na apostila disponível no link abaixo, retirado do excelente site Processamento Digital, é possível seguir o passo a passo e instalar desde o banco de dados PostGreSQL no seu servidor Windows ou Linux, instalar o add-In PostGIS, bem como configurar as conexões e ver como carregar seus dados. Não deixe de ver e deixar seus comentários abaixo:


-Link para apostila (By Processamento Digital)
-Link para o site

Agradecimento especial ao colega Lucas Hoenig pelas dicas

29 março 2014

QGIS 2.2 (Valmiera) Liberado

Nova Versão do QGIS Liberada!

A versão 2.2 do QGIS (O nome Quantum GIS foi abolido) foi liberada oficialmente no final do mês passado com o nome de Valmiera. O QGIS vem aos poucos se tornando a grande alternativa opensource ao ArcGIS da ESRI, hoje padrão de mercado, e também ao SuperGIS que vem ganhando espaço.

Dentre as principais melhorias estão a capacidade de inverter rampa de cores, suporte a rótulos para raster, novas ferramentas e melhorias no compositor de impressão, fonte de grande reclamação por parte dos usuários.

Baixe e experimente a nova versão: Clique aqui , depois nos conte tudo nos comentários abaixo !!!
Veja em vídeo a instalação

Você sabia que o QGIS tem versões betas de testes para Android? Confira, baixe o apk e instale no seu tablet android a partir do link http://android.qgis.org/download/

03 fevereiro 2014

Conheça o Road Graph Plugin

O Road Graph Plugin é um plug-in escrito em C + + para o QGIS, que calcula o caminho mais curto entre dois pontos em qualquer layer tipo Polyline e plota este caminho ao longo da sua rede rodoviária.
Fonte: qgis.org / Plugins

Suas Principais características são: 

-Calcula o caminho, distância e tempo de viagem
-Otimiza pelo menor comprimento ou tempo de viagem 
-Exporta resultado como vetor
-Identifica a direção das estradas(isto ainda é lento e usado principalmente para fins de depuração e para o teste de configurações)

Com este plugin você economiza dinheiro ao não precisar utilizar o Network Analyst do ArcGIS para análises simples como esta. Infelizmente ele ainda não calcula matrix de custos em distânc

--> Conheça mais o plugin (em inglês), clique aqui 
--> Vídeo, veja como usar e também veja o plugin em ação

--> O QGIS 2.0
--> O QGIS 2: Quantum GIS - Instalação do Plugin Forest Management Toolkit 

29 janeiro 2014

Extraindo curvas de nível do SRTM usando o QGIS

O SRTM (Missão espacial de topografia por Radar em tradução livre) foi uma missão para obter um modelo digital do terreno de todo planeta Terra entre 56 °S e 60 °N, de modo a gerar uma base completa de cartas topográficas digitais terrestre de alta resolução.

A partir destes dados podemos gerar curvas de nível com intervalos médios e erros relativamente baixos.

O site da Embrapa fornece uma interface bem amigávelnpara baixar estes dados, veja em: http://www.relevobr.cnpm.embrapa.br/download

Já o site Webmapit Topodata também oferece uma interface muito amigável alémde agregar mais produtos.Confira no link: http://www.webmapit.com.br/inpe/topodata/

Fonte: woostuff.files.wordpress
Para traçar as curvas no QGis, basta:
--Adicionar o raster do SRTM.
--Vá no menu Raster/Extração ou Extraction e selecione Contorno ou Contour se estiver em inglês.
--Na janela que se abre, indique o nome e local do arquivo de saída em shapefile.
--Em intervalo, indique qual a equidistância entre cada curva você deseja.
--Basta clicar OK para gerar as curvas. Simples e rápido.

Dúvidas basta deixar sua mensagem.

Como fazer no ArcGis ? Clique aqui