Mostrando postagens com marcador sensoriamento remoto. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador sensoriamento remoto. Mostrar todas as postagens

27 abril 2015

XVII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto

Nos dias 24 a 29 de Abril estará acontecendo o XVII Simpósio Brasileiro de Sensoriamento Remoto na cidade de João Pessoa - PB.

Um evento organizado pelo INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) e SELPER (Associação de Especialistas Latino americanos em Sensoriamento Remoto).
No evento, mais de 900 trabalhos serão apresentados nos diversos temas como: Analise espacial, Modelagem e Monitoramento Agrícola, Monitoramento de Queimadas, Técnicas aplicadas ao processamento de imagens, Processamento de dados SAR, Mapeamento e Monitoramento Geológico,
Sistemas costeiros, Aplicações em florestas, Modelagem 3D, dentre outros.
Destaque para as Novas aplicações do VANT, dados Lidar e modelagem urbana 3D.
Alem disso diversas sessões temáticas especiais e palestras ocorrerão com a presença de grandes pesquisadores nacionais e internacionais.
Uma ótima oportunidade para quem esta interessado nas novas tecnologias e ferramentas de sensoriamento remoto e geoprocessamento.
Destaque também para empresas no ramo de levantamentos aéreos não tripulados (VANT) e drones.


Maiores informações no link: http://www.dsr.inpe.br/sbsr2015/index.html

Anais já estão disponíveis no site: Clique aqui

(Suzana Vieira da TTG Brasil acompanha o evento e nos trará mais novidades no decorrer da semana)

26 fevereiro 2014

Novo satélite WorldView 3 fará imagens de até 25cm

Fonte: http://www.ubergizmo.com/
Novo satélite WorldView 3 fará imagens da Terra com definição muito maior que os anteriores, chegando até incríveis 25 cm (logicamente estas não sendo disponível ao público, mas apenas ao governo americano).
Até o final de 2014, o satélite de última geração WorldView 3, fabricado pela Ball Aerospace, será responsável por novas imagens da Terra com maior definição. 
Operado pela DigitalGlobe, empresa que já fornece imagens para o Google, Microsoft e Apple, o novo satélite terá sua órbita a aproximados 600 quilômetros da Terra e uma velocidade de 8 quilômetros por segundo. 

Confira mais nas fontes :


17 fevereiro 2014

Vem aí o XI SenGef, em outubro

Fonte: www.11sengef.com.br
Coloque desde já na sua agenda. Temos um encontro marcado no XI SenGef (Seminário de Atualização de Sensoriamento Remoto e Sistemas de Informações Geográficas Aplicados à Engenharia Florestal).
O evento é organizado pela UFPR, Unicentro e IEP e já é tradicional entre os profissionais da área GIS/Florestal.

Programado para 14 a 16 de Outubro, 2014 no Museu Oscar Niemeyer (Rua Marechal Hermes, nº 999, Centro Cívico. Curitiba - Paraná.), conta com submissão de artigos científicos, exposição técnica, renomados palestrantes convidados de instituições nacionais e estrangeiras. 

Mais informações em http://www.11sengef.com.br/

27 janeiro 2014

"Os drones invadem os negócios"

Os drones invadem os negócios.



Saiba por que empresas como Amazon, DHL, Eldorado, AES Tietê e Domino's estão investindo no bilionário mercado dos robôs voadores que prometem revolucionar o universo corporativo.

Artigo imperdível para você da área GIS/ Geo. Para ler na íntegra, clique aqui.

Veja também a reportagem abaixo

22 maio 2013

Landsat 8 - 10 dias para a fase operacional

Fonte: nasa.gov
Conforme havíamos antecipado aqui no blog, com informações dos profissionais da NASA que estiveram no XVI SBSR em Fóz do Iguaçu, o novo Landsat 8 deverá iniciar sua faze operacional muito em breve. Depois de decorridos 99 dias do lançamento, vejam o post no Twitter da missão LDCM/USGS nesta ultima noite:

NASA_Landsat RT@usgslandsat: 10 days! and counting! Not to another launch, but to the embarkation of LDCM's life's work as operational #Landsat 8.

Ou seja, contagem regressiva, 10 dias (a contar de hoje, 22 de maio 2013) para o Landsat 8 entrar em sua vida operacional.

Vamos aguardar !!!

Siga o twitter da missão para mais informações em primeira mão: 

16 abril 2013

XVI SBSR, o segundo dia...

No segundo dia do SBSR, a sessão especial teve como tema "Sensoriamento Remoto de Superfícies Planetárias". Parecia ser um tema um pouco mais para astrônomos, mas no decorrer da sessão pudemos perceber que na verdade o pessoal da NASA trouxe o que há de mais novo em relação a sensoriamento remoto e que a tecnologia de ponta primeiramente é desenvolvida e utilizada pelas agências espaciais para pesquisar os corpos celestes pois muitas vezes não há outra forma de estudá-los.

Participaram da sessão os pesquisadores Dr. Daniel Nunes do JPL/Caltch, Dra. Rosaly Lopes também do JPL/Caltech e a Dra. Jani Radebaugh da Brigham University de Utah (EUA).

Dr. Daniel enfatizou as múltiplas técnicas utilizadas no reconhecimento de Marte deste o tempo antigo até as últimas missões atuais com a MRO e com os robôs exploradores. Mostrou algumas técnicas de mapeamento de campos magnéticos e da gravidade, mostrando inclusive a influência dos vulcões de marte sobre o mapeamento.

Dra Rosaly falou sobre a lua de Júpiter chamada "IO" e como foi possível mapear grande parte dos vulcões de sua superfície utilizando apenas varreduras de baixa resolução em ondas visíveis e infravermelhas. 

Dra. Jani apresentou como foi feito o mapeamento da lua de saturno chamada Titã. Usando radar e infravermelho somente em algumas partes do corpo celeste. Descobriu-se haver oceanos de metano no planeta e áreas áridas com presença de dunas, mas para descobrir isso só foi possível comparando observações de radar da lua com obtidas na terra e comparando padrões por exemplo do deserto do Sahara e os sulcos alinhados de areia o que, por analogia, consegue-se definir que a superfície de titã também apresenta mesmas características em partes. Processos geológicos são igualmente possíveis de fazer analogia pois da mesma forma que na terra, Titã apresenta chuvas que, embora seja de Metano, tem a mesma influência que a chuva de água na terra.

Diversas perguntas foram proferidas sobre astronomia e ciência planetária e respondidas claramente pelos brilhantes pesquisadores (dois deles Brasileiros) que estão desenvolvendo projetos e colaborando para futuras missões e criação de equipamentos para sensoriamento remoto de diversas luas e corpos celestes na agência espacial americana.

Sessão de posteres, apresentação de trabalhos técnicos específicos e exposição de fabricantes e empresas prestadoras de serviço em GIS/GEO/ Sensoriamento complementaram o restante do tempo.
Amanhã, Quarta-feira, o evento prossegue com o tema central sendo "Novas tendências em Modelagem de sistemas terrestres".

15 abril 2013

XVI SBSR: LANDSAT 8 - Planos e perspectivas.

Prezados, na primeira palestra do XVI SBSR, o Dr. Thomas Loveland da USGS (NASA) e o Dr. Michael Wulder do Serviço Florestal Canadense compuseram a mesa.
O tema era o LANDSAT 8: Planos e perspectivas.
Dr. Loveland:
Programa Landsat - O Brasil é o principal responsável pelos dados serem livres para a comunidade hoje, segundo o pesquisador da Nasa. Graças a pressões e apelos do Brasil e outros países em menor escala temos hoje dados disponíveis para a comunidade de forma gratuita e contínua.
-Desde 1972, nunca ficamos sem dados LandSat, grande parte graças ao Landsat 5 que superou muito sua vida útil programada, estando ativo por incríveis 29 anos. 
-Uma das grandes características do Landsat é que, desde o primeiro, a qualidade espectral se mantem muito semelhante, isto permite comparação de dados e séries históricas como nenhum outro permite.

-O LDCM vem para cobrir a desativação do Landsat 5 anunciado pela Nasa em dezembro de 2012 e garantir a continuidade do programa de monitoramento da terra mais antigo e confiável até hoje, que celebra seus 40 anos.

Mr. Wulder, do Serviço Florestal canadense: Temos hoje 39 satélites com resolução melhor de 100 metros porém apenas 1 atualmente fornece imagens abertas, acessíveis, prontas para uso e grátis para o mundo, o LANDSAT.
Há hoje um paradigma, mudar o pensamento de modo a pensar em pixel e não na cena em sí. Imagens livre de núvens? Não, vamos pensar em pixel livre de nuvens, isso vai viabilizar muito mais analises com os mesmos dados históricos. Também a analise temporal que era "ver abruptas diferenças entre pontos no tempo" está mudando para tendências ao longo do tempo "Indo de onde para onde" e taxas de mudança no tempo.

Tom Loveland acrescenta- USGS NASA: Landsat 8 (oficialmente chamado de LDCM pela NASA) foi aprovado no ano 2000 e levou 13 anos para ser lançado.
Presidente Barack Obama acabou de aprovar o orçamento para o LandSat 9 visando a continuidade da missão, e como demora um certo tempo para lançar um novo Landsat, eles precisam começar anos antes projetos e cornstrução. A idéia é ter o Landsat 9 praticamente pronto para 2017.
Tom mostrou o vídeo de lançamento do Landsat 8 em 11 fev 2013 e também as primeiras imagens capturadas para teste (imagens do Colorado e Wyoming-EUA) e também algumas inéditas do Mar de Aral na Ásia e também uma sob o Mato Grosso no Brasil e uma no Peru, imagens inéditas até hoje, trazidas exclusivamente para o evento.

Tom disse que estão prevendo já disponibilizar imagens do LDCM de abril e maio deste ano no dia 30 de Maio 2013 para todo o mundo!!!

Parte técnica:
A Arquitetura do Landsat 8 mudou também e o método de varredura do terreno usa as mesmas especificações dos outros satélites mais modernos disponíveis (Pushbroom), permitindo capturar 400 cenas por dia em 9 bandas espectrais (duas a mais que os antecessores), incluindo uma pan cromática de 15 metros e as outras todas em 30 metros com acurácia geodésica de 35,5 metros (CE90). A calibração do satélite agora é feita on-board, com verificações periódicas, o que deverá garantir qualidade radiométrica durante toda a missão.

Para calibrar o LDCM utilizaram o LandSat 7 imageando uma mesma região para comparação de cenas e verificação de consistências durante os últimos meses.
A Nasa adicionou também imageador infravermelho termal de dois canais, algo inédito, com resolução de 100 metros, diferentemente do LandSat 7 que havia um imageador de 60 metros mas com apenas um canal..

O arquivo de dados do LDCM está dimensionado para incríveis 530 anos de dados, com 50 PetaBytes de capacidade.
Os dados terão formato GeoTIFF, incluindo uma banda de verificação de qualidade. Aumentou-se em 63% as aquisições de dados com repetição de 8 dias. Geolocalização de pixel aumentou de precisão na ordem 12 metros.

Ver mais:
-Lançamento  do LDCM
-Página da missão
-História do Programa LandSat
-Currículo do Dr. Loveland

16 outubro 2012

Abertura do X Sengef


Segundo nosso amigo e reporter do blog Edgar Rossato que participa do evento, na abertura do X Sengef aconteceu a palestra do Eng° Jorge Samek da Itaipu Binacional que falou sobre sustentabilidade e colocou a Itaipu a disposição como parceira para eventos desse tipo.

A abertura do evento prosseguiu com uma bela homenagem ao Professor Dr. Attilio Antonio Disperati, que faleceu em 04 de junho do ano passado. Ele foi o idealizador e organizador do primeiro SENGEF. A sessão de abertura foi quase toda dedicada a homenagear o professor.

Hoje, no primeiro dia oficialmente técnico estão programas sessões sobre modelagem de ecossistemas florestais, Análise espacial do desmatamento em MG, Sensoriamento remoto hiperspectral, dentre outras.


SENGEF 2014 - Clique aqui

12 outubro 2012

Próxima semana temos o X SENGEF em Curitiba, PR

Caros colegas,

Na próxima semana teremos o X Seminário de Atualização em Sensoriamento Remoto e Sistema de Informações Geográficas Aplicados à Engenharia Florestal, como descrito no site do evento, o SENGEF é uma continuação da forma bem sucedida de organização e aceitabilidade por parte da comunidade florestal. O X Seminário (15 - 18 out., 2012 - Curitiba, PR) está sendo cientificamente preparado para fazer constar na programação uma série de palestras com especialistas brasileiros e de outros países da América Latina, além de convidados dos EUA e Europa, envolvidos com a problemática florestal. É importante citar que Empresas e Instituições do ramo de geotecnologias que auxiliam o planejamento, gerenciamento e execução de atividades florestais têm participado com apresentações em estandes no decorrer da exposição técnica especialmente montada para tal fim.

Estaremos presente no evento por meio do nosso colaborador Edgar Rossato que nos trará os detalhes do evento e publicações interessantes para nossa área. Confira ao longo da Semana.

23 janeiro 2012

Sensoriamento Remoto

Caros colegas,


Este post é uma dica de conteúdo para quem está cursando sensoriamento remoto ou mesmo quer saber muito sobre o assunto. O pdf abrange aspectos relacionados às Resoluções, Radiação ótica com grandezas físicas e Leis Físicas, interações da REM com a superfície e a atmosfera e como se dá o processo de aquisição e interpretação de dados para variados fins dentre eles o que mais nos interessa, estudos de vegetação, etc.

O material é creditado ao Geosere (Lab. Sensoriamento Remoto) do Depto de Eng. Rural da UFSM,  com os mais profundos agradecimentos ao Prof. Rudinei S. Pereira.

LINK para o MATERIAL

“Sensoriamento Remoto é a ciência e a arte de obter informação acerca de um 
objeto, área ou fenômeno, através da análise de dados adquiridos por um dispositivo que não 
está em contato com o objeto, área ou fenômeno sob investigação”