06 abril 2017

Com o Google Map Maker desativado, como contribuir ou editar o Google Maps?

Brincadeira feita por editores
do Google Map Maker (saiba mais)
O Google Map Maker foi oficialmente desativado no dia 31 de março de 2017, e muitos dos recursos dele foram integrados ao Google Maps.
Talvez por conta de brincadeiras como esta ai ao lado e a dificuldade de moderar todos os usuários:

Desde 2008, a comunidade do Google Map Maker editou e moderou milhões de elementos com o intuito de melhorar a experiência no Google Maps. Para facilitar que todos os usuários do Google Maps contribuam com alterações do mapa, a Google começou a migrar as funcionalidades do Map Maker para o Google Maps em computadores e dispositivos móveis (diz a mensagem do Google)

Os principais recursos de edição atualmente disponíveis no Google Maps são:
  • Adicionar um lugar.
  • Editar informações sobre um lugar.
  • Compartilhar mais detalhes sobre um lugar.
  • Moderar edições.
  • Ver o status das suas edições.
  • Editar trechos de via.
Para adicionar um local, empresa, monumento ou qualquer ponto de interesse ao Google Maps, após logar, clique no menu sanduíche e clique em "Adicionar novo local". 
Para editar um local que apresenta dados ou localização errada, clique no local e do lado esquerdo vai aparecer "sugira uma edição", clique ai e clique no item que precisa ser corrigido e altere. Sua edição será moderada e publicada caso aprovada: 

Alternativamente, se você quiser continuar compartilhando seu conhecimento local no Google Maps e interagir com uma comunidade dedicada de pessoas com interesses iguais aos seus, participe do programa Local Guides. Nele, você poderá:
  • acumular pontos;
  • ganhar recompensas pelo envio de edições e outras informações;
  • receber acesso antecipado a novos recursos do Google Maps.
TÓPICOS RELACIONADOS

24 março 2017

Qual computador (configuração) comprar para rodar o ArcGIS ou PRO tranquilamente?

Vários usuários de software GIS, QGIS também, mas principalmente do ArcGIS, entram em contato conosco pedindo sugestões e configurações mínimas e recomendadas para rodar os softwares.

Muitos estão mudando de emprego ou simplesmente atualizando seus computadores e se deparam com a necessidade de especificar o hardware necessário para trabalhar bem com os aplicativos. Alguns ainda tem necessidades específicas como processamento de imagem, network analyst, trabalham com grandes geodatabases e precisam de um poder de processamento maior.

Vamos a parte técnica. Os principais itens de hardware para quem quer trabalhar com imagens ou grandes bases de dados no ArcGIS 10.5 seriam processador e placa de vídeo dedicadas. Se estas imagens estiverem em uma rede local, uma placa de rede - gibabit ou de 1 Gbps-  veloz também faz-se necessário. Se estiverem armazenadas no seu disco da máquina local (ou mesmo para processamento), um disco de alta velocidade de acesso também é recomendado (SSD, ou mesmo HDD 7200 rpm que geralmente entrega dados 30% mais rápido que um HD 5400 rpm)

➥Resumindo para heavy users:

  • Processador: 2.2 GHz HT ou Multi-core (diria que qualquer i7 6a ou 7a geração são mais que suficientes);
  • Placa de vídeo: 24-bit, openGL Dedicada, de no mínimo 1 GB
  • Placa de rede: Para dados na rede local, prefira placa gigabit / 1 Gbps, assumindo que sua rede local também seja gigabit, caso contrário não vai influenciar
  • Memória RAM: Mínimo 8 GB, embora 12GB ou 16 GB sejam recomendados para processamento de imagem.
  • Disco: SSD (solid state drive-que tem um preço mais alto) ou mesmo HDD 7200 rpm que ainda assim entregam dados mais rápido que o HDD 5400rpm.

Para quem usa ArcGIS regularmente, sem utilizar processamento de imagem ou grandes bancos de dados o dia inteiro, a ESRI publica suas recomendações de hardware a cada versão disponibilizada.
Na versão atual, 10.5/ PRO 1.4, as recomendações mínimas e ideais são:

Recomendações para normal users (by ESRI):
  • CPU speed: 2.2 GHz minimum; Hyper-threading (HHT) or Multi-core recommended
  • Platform: x86 or x64 with SSE2 extensions
  • Memory/RAM: Minimum: 4 GB | Recommended: 8 GB | Optimal: 16+ GB
  • Display properties: 24-bit color depth 
  • Screen resolution:  1024x768 recommended minimum at normal size (96 dpi)
  • Disk space: Minimum: 4 GB | Recommended: 6 GB or higher
  • Video Graphics: 64 MB RAM minimum; 256 MB RAM (512 MB para ArcPRO) or higher recommended. NVIDIA, ATI, and Intel chipsets supported. 24-bit capable graphics accelerator - OpenGL version 2.0 runtime minimum is required, and Shader Model 3.0 or higher is recommended. Directx 9 compatible. Be sure to use the latest available drivers

➥ Veja o link para as configurações recomendadas pela ESRI:
Desktop: Clique aqui ArcPRO:Aqui

Ficou com dúvidas? Comente e pergunte abaixo: 

TÓPICOS RELACIONADOS

15 março 2017

Conectar Base de Dados do INCRA ao ArcGIS e QGIS (Atualizado 2017)

Atualmente os serviços web de mapas conhecidos como WMS permitem a publicação e disponibilização de grandes bancos de dados espaciais na internet e a ligação destes com aplicativos desktop como ArcGIS e QGIS. O INCRA disponibiliza todas as propriedades georreferenciadas atualizadas diariamente na sua base de dados. 
Recentemente o INCRA atualizou os links wms para seus bancos de dados, dividindo-os por estado. Abaixo os novos endereços e como conectar via software ou na web.

Links WMS para cada tipo de camada (atualizado em Março 2017)

IMPORTANTE: Nos links abaixo, substitua o xx do final do link pela abreviação do seu estado de interesse. Para Rio Grande do Sul por exemplo, substitua o xx por rs
  • Imoveis Certificados - SNCI - Lei 10267/2001 - Privado
WMS:
http://acervofundiario.incra.gov.br/i3geo/ogc.php?tema=imoveiscertificados_privado_xx
DOWNLOAD SHAPEFILE:
http://acervofundiario.incra.gov.br/i3geo/ogc/index.php?temaDownload=imoveiscertificados_privado_xx

  • Imoveis Certificados - SNCI - Lei 10267/2001 - Publico
WMS:
http://acervofundiario.incra.gov.br/i3geo/ogc.php?tema=imoveiscertificados_publico_xx
DOWNLOAD SHAPEFILE:
http://acervofundiario.incra.gov.br/i3geo/ogc/index.php?temaDownload=imoveiscertificados_publico_xx
  • Imoveis Certificados Sigef -Particular
WMS:
http://acervofundiario.incra.gov.br/i3geo/ogc.php?tema=certificada_sigef_particular_xx
DOWNLOAD SHAPEFILE:
http://acervofundiario.incra.gov.br/i3geo/ogc/index.php#?temaDownload=certificada_sigef_particular_xx
  • Imoveis Certificados Sigef-Publico
WMS:
http://acervofundiario.incra.gov.br/i3geo/ogc.php?tema=certificada_sigef_publico_xx
DOWNLOAD SHAPEFILE:
http://acervofundiario.incra.gov.br/i3geo/ogc/index.php#?temaDownload=certificada_sigef_publico_xx



➽ Explore a tabela de atributos: Clique aqui (substitua o rs no final do link pelo seu estado)
➽ Dados i3Geo em kml - Clique aqui
            ➽ Nova interface de dados Incra


09 março 2017

SilviLaser 2017 pode ser sua oportunidade de publicar um artigo sobre Lidar

A Universidade americana Virginia Tech promove o SilviLaser 2017.
Esta será sua oportunidade de publicar artigos relacionados ao uso de Lidar no meio florestal.

"O SilviLaser 2017 será realizado em Blacksburg, Virgínia-EUA, campus da Virginia Tech de 10 a 12 de Outubro de 2017.
Esta será a 15ª conferência internacional de uma série focada em aplicações lidar para avaliar e gerenciar os ecossistemas florestais. A conferência reunirá pesquisadores e profissionais de todo o mundo para compartilhar sua experiência no desenvolvimento e aplicação de lidar para melhorar a nossa compreensão do funcionamento do ecossistema florestal e facilitar a sua gestão sustentável através da melhoria da avaliação florestal e inventário. 
Também visa fortalecer e desenvolver novas ligações entre pesquisadores, provedores de dados e usuários finais de produtos."
Inscrição, call for papers e mais informações no site do evento em: 

Fonte: Site do Evento em 
Mais informações diretamente
com o professor Dr. Thomas
Valerie Thomas
Associate Professor
Forest Resources and Environmental Conservation
+1(540) 231-0958 
Email: thomasv@vt.edu

07 março 2017

Trimble compra Savcor Oy e Silvadata

Trimble adquire a Savcor Oy e Silvadata para Expandir as Soluções SaaS e Alcance Global para a Indústria Florestal
 
A Trimble anunciou hoje (03 de Março 2017) que adquiriu o negócio de silvicultura da Savcor Oy,  uma das maiores fornecedoras global de soluções para otimização de desempenho e gerenciamento florestal para empresas. A Trimble também adquiriu a Silvadata, fornecedora de serviços de automação de dados, colaboração e fluxo de trabalho na nuvem para pequenas e médias empresas florestais. As aquisições expandem o alcance global da Trimble e complementam as soluções The Connected Forest da Trimble (antigo Cengea). Os termos financeiros não foram divulgados.

Savcor Oy: Com sede na Finlândia, escritórios no Brasil e na Alemanha, a Savcor Silvicultura fornece soluções de informação e diagnóstico on-line para o processamento florestal e planejamento da produção.

"As aquisições da Savcor e da Silvadata baseiam-se em nossa estratégia de oferecer aos clientes globais um ecossistema completo para o manejo florestal, rastreabilidade e processamento de madeira", disse Ken Moen, gerente geral da Divisão Florestal da Trimble. "Nosso foco fundamental é oferecer soluções integradas que agilizem, melhorem a eficiência e proporcionem melhor visibilidade em cada fase do ciclo de vida da floresta".

LEIA MAIS (em Inglês)

Satélite Sentinel-2B da ESA é lançado com sucesso !

Fogete Vega segundos antes
 do lançamento do Sentinel-2B
O satélite Sentinel-2B desenvolvido pela ESA foi lançado hoje, duplicando a cobertura da imagem óptica de alta resolução da missão Sentinel-2 para o programa Copernicus, o sistema de monitoramento ambiental da União Européia.
O satélite de 1,1 toneladas foi levado a órbita pelo foguete Vega do porto espacial Europeu localizado em Kourou, na Guiana Francesa. O Lançamento ocorreu às 01:49 GMT do dia 7 de março (22:49, hora local e de Brasília ainda do dia 6 de março).
Após esta primeira fase de "lançamento e órbita inicial", que tipicamente dura três dias, os controladores vão começar a verificar e calibrar os instrumentos para comissionar o satélite. Espera-se que a missão inicie as operações em três a quatro meses.
O satélite Sentinel -2B tem duração estimada de 7 anos e carrega um imageador multi espectral de 13 bandas que visa prover informações para agricultura e florestas além de possibilitar a predicão de rendimentos de safras agrícolas.

Fonte: Wikipedia e ESA


TÓPICOS RELACIONADOS

24 fevereiro 2017

Vagas de Analista GIS e Planejamento e Controles florestais na AMATA

ANALISTA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA


LOCAL DE ATUAÇÃO: São Paulo /SP
A AMATA é a empresa que faz a ponte entre a floresta e o mercado consumidor ao disponibilizar madeira certificada, produzida com responsabilidade socioambiental e garantia de origem.
Com presença no Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Pará e Rondônia.
Geramos valor para compartilhá-lo com todos os envolvidos: clientes, acionistas, trabalhadores, fornecedores e moradores das comunidades do entorno das áreas de manejo.
Se você é um profissional que busca um ambiente de trabalho flexível, desafiador e em constante transformação, lhe convidamos a compartilhar conosco suas experiências, bem como suas expectativas de carreira.
ATRIBUIÇÕES
• Manter a base cartográfica e o cadastro florestal atualizados e disponível para as operações e áreas clientes
• Propor e executar o micro planejamento das operações de silvicultura e colheita
• Dar suporte ao processo de regularização fundiária
• Propor e gerar mapas temáticos para apoio das operações em campo
• Monitorar através das ferramentas de SIG a integridade das propriedades da empresa
• Executar diligência técnica de novas oportunidades
• Manter as operações em conformidade com a legislação ambiental vigente
• Apoiar a elaboração do Plano de Manejo, Plano Operacional Anual e orçamento
REQUISITOS BÁSICOS
• Fundamental vivência na área de Sistemas de Informação Geográfica, cadastro e cartografia.
• Graduação em engenharias, economia, administração, matemática ou estatística.
COMPETÊNCIAS
• É imprescindível bons conhecimentos em ArcGIS
• Bons conhecimentos em ferramentas de banco de dados
• Bons conhecimentos em Excel
• Conhecimento em ferramentas de planejamento e otimização (Remsoft, Optimber, etc.)
• Sistemas e fundamentos para análises estatísticas
• Conhecimentos em SGF (Sistema de Gestão Florestal) Inflor serão considerados um diferencial.
• Conhecimentos em outros idiomas, principalmente inglês, serão considerados um diferencial.

ENVIE SEU CURRÍCULO AQUI ou recrutamento@amatabrasil.com.br

Mais Vagas:
Fonte:

22 fevereiro 2017

Mapeamento do custo de vida no Mundo

O site MoveHub criou um mapa para mostrar a diferença nos custos de vida em todo o mundo em 2017 usando dados de Índices de Preços ao Consumidor (CPI ou IPCA como é conhecido aqui no Brasil).
Em apenas dois anos, Bermuda escalou o seu caminho para o primeiro lugar se tornou o país mais caro para viver, empurrando a Suíça para o segundo lugar. Isso pode ser devido em parte à reputação de paraíso fiscal das Bermudas, que atraiu os mais ricos e mais poderosos nos últimos anos.

Pode vir como uma surpresa a muitos que consideram custos elevados do alimento e inflação de aumentação, mas o Reino Unido caiu fora dos 20 países os mais caros para a primeira vez desde 2009, superado pela Irlanda e pelos EUA.

No outro lado do espectro, o Egito é agora o país com o menor custo de vida, subindo seis lugares em dois anos.

Veja alguns dos mapas ou clique aqui para ver a matéria original.