07 abril 2017

Confira a lista de plugins mais populares para QGIS

Uma das coisas que mais atraem os usuários do QGIS é a possibilidade de encontrar plugins para muitas e muitas funções de geoprocessamento. Algumas que nem mesmo o ArcGIS é capaz de executar.
Se você busca alguma ferramenta para alguma função que não existe nativamente no QGIS, tente buscar no site de plugins do QGIS. 
Atualmente (Agosto 2017) existem 808 plugins disponíveis para download no repositório - Clique aqui para acessar
Dentre os mais populares está o OpenLayers Plugin com mais de 1,26 milhões de downloads, seguido pelo MetaSeach Catalogue com mais de 400 mil downloads, do mmqgis com 376 mil e Table Manager com 305 mil.
Confira a lista dos 15 plugins mais populares para QGIS.


Tela do repositório ed plugins do QGIS em 7 de abril de 2017



































06 abril 2017

Com o Google Map Maker desativado, como contribuir ou editar o Google Maps?

Brincadeira feita por editores
do Google Map Maker (saiba mais)
O Google Map Maker foi oficialmente desativado no dia 31 de março de 2017, e muitos dos recursos dele foram integrados ao Google Maps.
Talvez por conta de brincadeiras como esta ai ao lado e a dificuldade de moderar todos os usuários:

Desde 2008, a comunidade do Google Map Maker editou e moderou milhões de elementos com o intuito de melhorar a experiência no Google Maps. Para facilitar que todos os usuários do Google Maps contribuam com alterações do mapa, a Google começou a migrar as funcionalidades do Map Maker para o Google Maps em computadores e dispositivos móveis (diz a mensagem do Google)

Os principais recursos de edição atualmente disponíveis no Google Maps são:
  • Adicionar um lugar.
  • Editar informações sobre um lugar.
  • Compartilhar mais detalhes sobre um lugar.
  • Moderar edições.
  • Ver o status das suas edições.
  • Editar trechos de via.
Para adicionar um local, empresa, monumento ou qualquer ponto de interesse ao Google Maps, após logar, clique no menu sanduíche e clique em "Adicionar novo local". 
Para editar um local que apresenta dados ou localização errada, clique no local e do lado esquerdo vai aparecer "sugira uma edição", clique ai e clique no item que precisa ser corrigido e altere. Sua edição será moderada e publicada caso aprovada: 

Alternativamente, se você quiser continuar compartilhando seu conhecimento local no Google Maps e interagir com uma comunidade dedicada de pessoas com interesses iguais aos seus, participe do programa Local Guides. Nele, você poderá:
  • acumular pontos;
  • ganhar recompensas pelo envio de edições e outras informações;
  • receber acesso antecipado a novos recursos do Google Maps.
TÓPICOS RELACIONADOS

24 março 2017

Qual computador (configuração) comprar para rodar o ArcGIS ou PRO tranquilamente?

Vários usuários de software GIS, QGIS também, mas principalmente do ArcGIS, entram em contato conosco pedindo sugestões e configurações mínimas e recomendadas para rodar os softwares.

Muitos estão mudando de emprego ou simplesmente atualizando seus computadores e se deparam com a necessidade de especificar o hardware necessário para trabalhar bem com os aplicativos. Alguns ainda tem necessidades específicas como processamento de imagem, network analyst, trabalham com grandes geodatabases e precisam de um poder de processamento maior.

Vamos a parte técnica. Os principais itens de hardware para quem quer trabalhar com imagens ou grandes bases de dados no ArcGIS 10.5 seriam processador e placa de vídeo dedicadas. Se estas imagens estiverem em uma rede local, uma placa de rede - gibabit ou de 1 Gbps-  veloz também faz-se necessário. Se estiverem armazenadas no seu disco da máquina local (ou mesmo para processamento), um disco de alta velocidade de acesso também é recomendado (SSD, ou mesmo HDD 7200 rpm que geralmente entrega dados 30% mais rápido que um HD 5400 rpm)

➥Resumindo para heavy users:

  • Processador: 2.2 GHz HT ou Multi-core (diria que qualquer i7 6a ou 7a geração são mais que suficientes);
  • Placa de vídeo: 24-bit, openGL Dedicada, de no mínimo 1 GB
  • Placa de rede: Para dados na rede local, prefira placa gigabit / 1 Gbps, assumindo que sua rede local também seja gigabit, caso contrário não vai influenciar
  • Memória RAM: Mínimo 8 GB, embora 12GB ou 16 GB sejam recomendados para processamento de imagem.
  • Disco: SSD (solid state drive-que tem um preço mais alto) ou mesmo HDD 7200 rpm que ainda assim entregam dados mais rápido que o HDD 5400rpm.

Para quem usa ArcGIS regularmente, sem utilizar processamento de imagem ou grandes bancos de dados o dia inteiro, a ESRI publica suas recomendações de hardware a cada versão disponibilizada.
Na versão atual, 10.5/ PRO 1.4, as recomendações mínimas e ideais são:

Recomendações para normal users (by ESRI):
  • CPU speed: 2.2 GHz minimum; Hyper-threading (HHT) or Multi-core recommended
  • Platform: x86 or x64 with SSE2 extensions
  • Memory/RAM: Minimum: 4 GB | Recommended: 8 GB | Optimal: 16+ GB
  • Display properties: 24-bit color depth 
  • Screen resolution:  1024x768 recommended minimum at normal size (96 dpi)
  • Disk space: Minimum: 4 GB | Recommended: 6 GB or higher
  • Video Graphics: 64 MB RAM minimum; 256 MB RAM (512 MB para ArcPRO) or higher recommended. NVIDIA, ATI, and Intel chipsets supported. 24-bit capable graphics accelerator - OpenGL version 2.0 runtime minimum is required, and Shader Model 3.0 or higher is recommended. Directx 9 compatible. Be sure to use the latest available drivers

➥ Veja o link para as configurações recomendadas pela ESRI:
Desktop: Clique aqui ArcPRO:Aqui

Ficou com dúvidas? Comente e pergunte abaixo: 

TÓPICOS RELACIONADOS

09 março 2017

SilviLaser 2017 pode ser sua oportunidade de publicar um artigo sobre Lidar

A Universidade americana Virginia Tech promove o SilviLaser 2017.
Esta será sua oportunidade de publicar artigos relacionados ao uso de Lidar no meio florestal.

"O SilviLaser 2017 será realizado em Blacksburg, Virgínia-EUA, campus da Virginia Tech de 10 a 12 de Outubro de 2017.
Esta será a 15ª conferência internacional de uma série focada em aplicações lidar para avaliar e gerenciar os ecossistemas florestais. A conferência reunirá pesquisadores e profissionais de todo o mundo para compartilhar sua experiência no desenvolvimento e aplicação de lidar para melhorar a nossa compreensão do funcionamento do ecossistema florestal e facilitar a sua gestão sustentável através da melhoria da avaliação florestal e inventário. 
Também visa fortalecer e desenvolver novas ligações entre pesquisadores, provedores de dados e usuários finais de produtos."
Inscrição, call for papers e mais informações no site do evento em: 

Fonte: Site do Evento em 
Mais informações diretamente
com o professor Dr. Thomas
Valerie Thomas
Associate Professor
Forest Resources and Environmental Conservation
+1(540) 231-0958 
Email: thomasv@vt.edu

07 março 2017

Trimble compra Savcor Oy e Silvadata

Trimble adquire a Savcor Oy e Silvadata para Expandir as Soluções SaaS e Alcance Global para a Indústria Florestal
 
A Trimble anunciou hoje (03 de Março 2017) que adquiriu o negócio de silvicultura da Savcor Oy,  uma das maiores fornecedoras global de soluções para otimização de desempenho e gerenciamento florestal para empresas. A Trimble também adquiriu a Silvadata, fornecedora de serviços de automação de dados, colaboração e fluxo de trabalho na nuvem para pequenas e médias empresas florestais. As aquisições expandem o alcance global da Trimble e complementam as soluções The Connected Forest da Trimble (antigo Cengea). Os termos financeiros não foram divulgados.

Savcor Oy: Com sede na Finlândia, escritórios no Brasil e na Alemanha, a Savcor Silvicultura fornece soluções de informação e diagnóstico on-line para o processamento florestal e planejamento da produção.

"As aquisições da Savcor e da Silvadata baseiam-se em nossa estratégia de oferecer aos clientes globais um ecossistema completo para o manejo florestal, rastreabilidade e processamento de madeira", disse Ken Moen, gerente geral da Divisão Florestal da Trimble. "Nosso foco fundamental é oferecer soluções integradas que agilizem, melhorem a eficiência e proporcionem melhor visibilidade em cada fase do ciclo de vida da floresta".

LEIA MAIS (em Inglês)

Satélite Sentinel-2B da ESA é lançado com sucesso !

Fogete Vega segundos antes
 do lançamento do Sentinel-2B
O satélite Sentinel-2B desenvolvido pela ESA foi lançado hoje, duplicando a cobertura da imagem óptica de alta resolução da missão Sentinel-2 para o programa Copernicus, o sistema de monitoramento ambiental da União Européia.
O satélite de 1,1 toneladas foi levado a órbita pelo foguete Vega do porto espacial Europeu localizado em Kourou, na Guiana Francesa. O Lançamento ocorreu às 01:49 GMT do dia 7 de março (22:49, hora local e de Brasília ainda do dia 6 de março).
Após esta primeira fase de "lançamento e órbita inicial", que tipicamente dura três dias, os controladores vão começar a verificar e calibrar os instrumentos para comissionar o satélite. Espera-se que a missão inicie as operações em três a quatro meses.
O satélite Sentinel -2B tem duração estimada de 7 anos e carrega um imageador multi espectral de 13 bandas que visa prover informações para agricultura e florestas além de possibilitar a predicão de rendimentos de safras agrícolas.

Fonte: Wikipedia e ESA


TÓPICOS RELACIONADOS

24 fevereiro 2017

Vagas de Analista GIS e Planejamento e Controles florestais na AMATA

ANALISTA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA


LOCAL DE ATUAÇÃO: São Paulo /SP
A AMATA é a empresa que faz a ponte entre a floresta e o mercado consumidor ao disponibilizar madeira certificada, produzida com responsabilidade socioambiental e garantia de origem.
Com presença no Paraná, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Pará e Rondônia.
Geramos valor para compartilhá-lo com todos os envolvidos: clientes, acionistas, trabalhadores, fornecedores e moradores das comunidades do entorno das áreas de manejo.
Se você é um profissional que busca um ambiente de trabalho flexível, desafiador e em constante transformação, lhe convidamos a compartilhar conosco suas experiências, bem como suas expectativas de carreira.
ATRIBUIÇÕES
• Manter a base cartográfica e o cadastro florestal atualizados e disponível para as operações e áreas clientes
• Propor e executar o micro planejamento das operações de silvicultura e colheita
• Dar suporte ao processo de regularização fundiária
• Propor e gerar mapas temáticos para apoio das operações em campo
• Monitorar através das ferramentas de SIG a integridade das propriedades da empresa
• Executar diligência técnica de novas oportunidades
• Manter as operações em conformidade com a legislação ambiental vigente
• Apoiar a elaboração do Plano de Manejo, Plano Operacional Anual e orçamento
REQUISITOS BÁSICOS
• Fundamental vivência na área de Sistemas de Informação Geográfica, cadastro e cartografia.
• Graduação em engenharias, economia, administração, matemática ou estatística.
COMPETÊNCIAS
• É imprescindível bons conhecimentos em ArcGIS
• Bons conhecimentos em ferramentas de banco de dados
• Bons conhecimentos em Excel
• Conhecimento em ferramentas de planejamento e otimização (Remsoft, Optimber, etc.)
• Sistemas e fundamentos para análises estatísticas
• Conhecimentos em SGF (Sistema de Gestão Florestal) Inflor serão considerados um diferencial.
• Conhecimentos em outros idiomas, principalmente inglês, serão considerados um diferencial.

ENVIE SEU CURRÍCULO AQUI ou recrutamento@amatabrasil.com.br

Mais Vagas:
Fonte:

22 fevereiro 2017

Mapeamento do custo de vida no Mundo

O site MoveHub criou um mapa para mostrar a diferença nos custos de vida em todo o mundo em 2017 usando dados de Índices de Preços ao Consumidor (CPI ou IPCA como é conhecido aqui no Brasil).
Em apenas dois anos, Bermuda escalou o seu caminho para o primeiro lugar se tornou o país mais caro para viver, empurrando a Suíça para o segundo lugar. Isso pode ser devido em parte à reputação de paraíso fiscal das Bermudas, que atraiu os mais ricos e mais poderosos nos últimos anos.

Pode vir como uma surpresa a muitos que consideram custos elevados do alimento e inflação de aumentação, mas o Reino Unido caiu fora dos 20 países os mais caros para a primeira vez desde 2009, superado pela Irlanda e pelos EUA.

No outro lado do espectro, o Egito é agora o país com o menor custo de vida, subindo seis lugares em dois anos.

Veja alguns dos mapas ou clique aqui para ver a matéria original.